Jornalista lista saques de Bolsonaro a verbas da educação

08/06/2022
Presidente finge que em seu governo não tem corrupção. Foto: Agência Brasil.
Presidente finge que em seu governo não tem corrupção. Foto: Agência Brasil.

Em apenas um caso de malversação escabrosa de dinheiro da educação pública, "a Controladoria-Geral da União pescou um edital para a compra de dez milhões de mesas e cadeiras escolares com um sobrepreço que poderia chegar a R$ 1,59 bilhão. O total da fatura chegaria a R$ 6,3 bilhões", revela o experiente jornalista Elio Gaspari, em matéria na Folha de S.Paulo.

Educação | Em artigo na Folha de S. Paulo (4) intitulado "O saque na educação pública", o experiente jornalista Elio Gaspari abordou a questão da corrupção do governo Bolsonaro no setor educacional. A lista é grande, embora o presidente finja que seu mandato é o mais honesto de todos os tempo.

Escândalo bilionário

Em apenas um caso de malversação escabrosa de dinheiro da educação pública, relata Gaspari, "a Controladoria-Geral da União pescou um edital para a compra de dez milhões de mesas e cadeiras escolares com um sobrepreço que poderia chegar a R$ 1,59 bilhão. O total da fatura chegaria a R$ 6,3 bilhões."

Após o anúncio, veja o levantamento completo feito pelo jornalista.

Corrupção pesada

Em relação ao edital para a compra de dez milhões de mesas e cadeiras escolares com um sobrepreço que poderia chegar a R$ 1,59 bilhão e fatura de R$ 6,3 bilhões, Elio Gaspari destaca que:

A CGU mostrou que oito empresas disputavam o negócio. Uma não tinha empregados e funcionava num condomínio residencial, outra pertencia à filha do dono de outra participante do certame.

Mais saques a verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) relatados pelo jornalista:

  • "Compra de robôs para escolas que não tem água. Detalhe: "governo paga R$ 14 mil por um equipamento que custa R$ 2.700."
  • "Consultor (leia-se atravessador) faturou R$ 2,4 milhões assessorando prefeituras nordestinas na liberação de verbas do fundo."
  • "Pastores da Noite vendiam Bíblias com fotografias do ministro da Educação e num caso pediu-se capilé [propina] em barra de ouro."
  • "No Piauí, foi autorizada a construção de 52 escolas de mentirinha enquanto o Estado tinha 99 colégios, creches e quadras esportivas com obras inacabadas."
  • "Brasília anunciou a construção de 2.000 novas escolas sabendo que não tem verbas para isso e que há 3.500 escolas inacabadas no país."

Continua, após o anúncio.

  • "No primeiro ano do governo de Bolsonaro, o FNDE produziu um edital para a compra de 1,3 milhão de computadores, notebooks e laptops destinados à rede pública de ensino. Coisa de R$ 3 bilhões."
  • "A CGU abateu a trama em voo mostrando que o edital estava direcionado e, entre seus vícios, destinava a 355 escolas um número de equipamentos superior ao de alunos. Os 255 alunos de uma escola de Itabirito (MG) receberiam 30 mil laptops."

É, parece que a mamata fez foi aumentar...


Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite também para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org - João R P Landim Nt 

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Ao todo, percentual de corte chega a 96% para 2023, o que é um enorme prejuízo para as crianças e profissionais que atuam na área. Educação de Jovens e Adultos (EJA) também foi tesourada em 56% de suas verbas. Um massacre em toda a Educação Básica