Saiba identificar os três tipos de fake news e veja qual o mais nocivo entre eles

04/06/2020 09:11

É da chamada 'grande mídia' que vem as notícias falsas mais perigosas para a maioria da população.

COMPARTILHE!

Publicidade

Imagem: aplicativo Canva
Imagem: aplicativo Canva

Ideologia | No geral, há três tipos de fake news (notícias falsas). O primeiro é inteligente e divertido. É associado a sites de humor, como o Sensacionalista. O segundo é grosseiro e tem origem em movimentos como MBL e 'Gabinete do Ódio', este último ligado à família Bolsonaro.  E o terceiro, mais perigoso, vem da chamada 'grande mídia e visa induzir a maioria da população a aceitar grandes mentiras como verdades. Veja, após o anúncio.

Leia também:

  1. Conheça os cinco truques que os patrões mais usam para tentar enganar os trabalhadores
  2. No capitalismo, os trabalhadores produzem de graça para os patrões e a maioria não sabe disso!
  3. Não existe tarefa de homem e tarefa de mulher! Só existe tarefa

Os três tipos de fake news

Primeiro: inteligente e divertido, esse tipo de "notícia falsa", na internet, tem origem em sites de humor, como o Sensacionalista. Não é prejudicial, pois informa, geralmente no rodapé da própria página, que a notícia não é verdadeira. Exemplos:

Esquerda brasileira lança o movimento Estamos #Separados (Sensacionalista)

'Se vídeo mostrasse Bolsonaro trabalhando sério, ele perderia muitos eleitores', diz analista (Sensacionalista)

Continua, após o anúncio.

Segundo: grosseiro, aposta na total incapacidade do leitor para estabelecer diferenças entre realidade e ficção. Tem como um dos principais objetivos destruir a reputação de políticos de esquerda, artistas ou outras personalidades muito conhecidas. Exemplos:

Lula "usava os cofres do BNDES para financiar seus amigos ditadores" (Movimento Brasil Livre - MBL)

PT vai implantar mamadeira de piroca nas escolas (Gabinete do Ódio)

Continua, após o anúncio. 

Terceiro: é o tipo de fake news mais nocivo à maioria da população. Vem no geral em duas versões, muito sutis. Na primeira, busca induzir as pessoas — em particular a classe trabalhadora — a acreditar que medidas péssimas de governos e patrões são imprescindíveis à maioria do povo. Exemplos:

"Sem a reforma da previdência [fim da aposentadoria dos trabalhadores] a previdência vai quebrar".

"Para se modernizar [voltar ao início do Século XX], o Brasil precisa flexibilizar [acabar] a CLT".

Tais tipos de fake news são difundidos no Brasil principalmente por: Globo, Veja, Folha, Estadão e seus genéricos em todo o País. Continua, após o anúncio. 

Na segunda versão, cujos principais autores são os mesmos do item anterior, faz o oposto e planta que políticas sociais corretas são nocivas aos interesses da população. Exemplos:

"O Bolsa-Família deve ser realinhado [extinto], porque consome muito dinheiro público".

"O Minha Casa Minha Vida precisa ser otimizado [diminuído] para se adequar a um Brasil mais moderno.

Divirta-se com o primeiro tipo de fake news, fique muito atento contra quem dissemina o segundo, e fuja dos que propagam o terceiro. Globo, Veja, Folha, Estadão e seus genéricos são um mal para a maioria do povo brasileiro.

COMPARTILHE!

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...