Reforma premia elite do funcionalismo e cria legião de 'desvalidos' em outra ponta

24/02/2020 19:02

COMPARTILHE!

Economia / Setores como educação, saúde e outros vitais para o serviço público nada têm a ganhar com a Reforma Administrativa anunciada pelo governo.

Publicidade

Foto: Agência Brasil.
Foto: Agência Brasil.

Após o carnaval, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que enviará ao Congresso a Pec da Reforma Administrativa

Se aprovada, medida mudará para muito pior o serviço público no Brasil, pois premiará uma pequena elite do funcionalismo, em detrimento de setores-chave, como saúde e educação. 

Pelo que veículos da grande mídia já anteciparam, projeto criará uma espécie de apartheid funcional, pois passará a existir legalmente servidor de primeira, segunda e terceira categorias. Continua, após o anúncio.

Elite e 'desvalidos'

Projeto, sem exageros retóricos, propõe transformar em lei duas categorias de servidores públicos no Brasil. Uma que permanecerá com todos os direitos atuais, inclusive estabilidade. E outra, sem estabilidade, carreira ou qualquer perspectiva de crescimento salarial. Uma espécie de 'desvalido' funcional.

Essa categoria dos 'desvalidos' será dividida em duas. Um setor amplo dela — enquadrado como terceira categoria — nem servidor público mesmo será, pois já entra com data marcada para demissão. O outro, a segunda categoria, também será regido sob semelhante arrocho. Continua, após o anúncio.

Atuais servidores:

Os atuais servidores, caso a reforma passe, também serão duramente atingidos, ao contrário do que o governo e parte da mídia diz. Leia mais sobre isso AQUI.

COMPARTILHE!

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e precisamos de apoio para que possamos manter nossas publicações. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PayPal

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...