PSTU: Bol$onaro não passa de mais um picareta! Leia e compartilhe...

01/08/2017 19:37

Os deputados custam mais de R$ 1 bilhão por ano ao contribuinte, em salário e privilégios
Os deputados custam mais de R$ 1 bilhão por ano ao contribuinte, em salário e privilégios

Extraído do site do PSTU - Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado | Muitos acham que Jair Bolsonaro (PSC-RJ) fala o que pensa e que, por isso, não é igual aos políticos tradicionais que estão por aí. Talvez seja por isso que o deputado tem aparecido em recentes pesquisas eleitorais para a Presidência com até 15% das intenções de voto.

Essa imagem é totalmente falsa e revela uma grande desinformação sobre Bolsonaro e sua família. Seu discurso de ódio e ultraconservador serve apenas para esconder aquilo que o deputado é realmente: mais um picareta da quadrilha do Congresso Nacional.

Votou a favor da reforma trabalhista
Bolsonaro votou a favor da reforma trabalhista. Mas isso não chega a ser exatamente uma surpresa, já que o deputado declarou, diversas vezes, ser contrário aos encargos dos trabalhadores, gabando-se de ter votado "contra todos os direitos das empregadas domésticas".

Só para lembrar, Bolsonaro se absteve na votação das terceirizações e votou "Sim" para a então PEC 241, do teto dos gastos públicos, aquela que congela por 20 anos o orçamento da Educação e da Saúde pública. O voto favorável do deputado causou protesto entre seus seguidores nas redes sociais. Um deles perguntou: "Gostaria de saber se os parlamentares também terão salários reduzidos e congelados?".

Ficou rico na política
Bolsonaro está na política desde 1988. Nesse período, enriqueceu e ainda botou sua família no ramo. De simples e obscuro oficial militar, o deputado ficou rico com a política, assim como a maioria dos seus coleguinhas corruptos do Congresso. Em seu sexto mandato consecutivo como deputado federal, em 2010 Bolsonaro declarou à Justiça Eleitoral possuir bens que totalizavam o valor de R$ 826,6 mil.

Quatro anos depois, em 2014, o patrimônio declarado pulou para R$ 2.074.692,43. A variação patrimonial é bem maior do que a soma dos salários líquidos que ele recebeu como deputado. Mesmo que Bolsonaro não tivesse gasto um único centavo de seus salários entre 2010 e 2014, ainda assim o montante acumulado não lhe permitiria chegar ao patrimônio de mais de R$ 2 milhões. Como se não bastasse, Bolsonaro continua.

Em 2014, ele aparece com duas mansões de frente para o mar na Barra da Tijuca, reduto de parte da elite carioca. O deputado declarou que o valor de compra declarado de uma das propriedades é de R$ 400 mil, e a outra, de R$ 500 mil. Uma piada, pois os imóveis de valor mais baixo nessa região custam, no mínimo, entre R$ 1,5 milhão a R$ 2 milhões.

Recebeu grana da JBS
Na sua última campanha, Bolsonaro recebeu R$ 200 mil da JBS de Joesley e Wesley Batista, a maior doação de sua campanha. A grana foi depositada diretamente na conta dele, como fica claro nos documentos da Justiça Eleitoral.

Seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, recebeu R$ 567 mil da empreiteira OAS, que está no mar de lama da Lava Jato. E ainda tem Flavio Bolsonaro, eleito deputado estadual do Rio de Janeiro com dinheiro da JBS. Na época, ele estava com a turma de Cabral e Pezão, responsáveis por quebrar o Rio de Janeiro.

Político privilegiado
Em palestra no Rio de Janeiro, em 3 de abril, o deputado fez uma série de declarações em que humilha e expõe todo o seu ódio e racismo contra populações quilombolas. Disse que foi num quilombo e que "o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles". A declaração asquerosa exala racismo e demagogia.

A verdade é que Bolsonaro, assim como seus amigos picaretas do Congresso, é de fato um privilegiado. Com o salário de R$ 33.763 (R$ 438.919 por ano), somado aos demais privilégios (ajuda de custo, auxílio moradia etc.). Os deputados da Câmara, juntos, custam bem caro para os cofres públicos: R$ 1 bilhão por ano ao contribuinte. Não podemos esquecer que o filho de Bolsonaro também é deputado e recebe as mesmas mordomias.

Machista e LGBTfóbico
Em várias circunstâncias, o deputado fez declarações machistas e LGBTfóbicas. Durante uma discussão com a deputada Maria do Rosário (PT), disse que "mulher feia merece ser estuprada". Disse, ainda, que "mulher tem que receber menos do que homem porque engravida". Também é inimigo declarado dos LGBTs e autor de inúmeros ataques homofóbicos. Defensor do golpe militar de 1964, diz que "a ditadura errou em torturar e não matar". Evidentemente, não diz uma palavra sobre a corrupção que rolava solta na época do regime militar.

Porém, como se vê, o picareta Bolsonaro costuma a falar grosso apenas com os oprimidos e vulneráveis. Com os ricos e poderosos, ele é manso. Assim como seus colegas parlamentares, todos no bolso das grandes empresas. Bolsonaro não passa de mais um picareta demagogo.

LEIA TAMBÉM:

Eleições | A TV Bandeirantes realizou ontem (09) um debate com candidatos à presidência da república. O que deveria ter sido um confronto de ideias na verdade se tornou uma troca de figurinhas entre a maioria presente apoiadora do golpe que levou Michel Temer ao poder. Na prática, foi um debate fake, pois excluiu Lula — o candidato...

DA REDAÇÃO | O deputado Jair Bolsonaro (PSL-Rio) é só um laranja do PSDB, embora tenha conquistado uma legião de seguidores que tem forte antipatia pelos tucanos. Por que os fãs do "mito" não percebem que estão sendo enganados? Porque se guiam muito pela emoção e não por qualquer ínfimo sentido de racionalidade.