O que ainda pode ser feito pelo reajuste do magistério

02/03/2023

Correção, de acordo com a lei, é em 1º de janeiro. A estas alturas, em março, professores devem radicalizar para receber os 14,95% de aumento.

PISO DO MAGISTÉRIO | Consultado pelo Dever de Classe, o economista Carlos N Sousa faz algumas ponderações sobre o reajuste de 14,95% para o magistério neste 2023. Diz ele que, "a estas alturas, em março, professores devem radicalizar se quiserem receber o aumento, pois a correção, por lei, é em primeiro de janeiro."

Após o anúncio, ele fala um pouco mais sobre o tema e mostra que há recursos para cumprir a lei do piso. 

Magistério não pode abrir mão do reajuste de 2023, pois há recursos carimbados para garantir a correção. Imagem ilustrativa: Webnode.
Magistério não pode abrir mão do reajuste de 2023, pois há recursos carimbados para garantir a correção. Imagem ilustrativa: Webnode.

Leia também:

Em sua opinião, o que deve ser feito para que os professores recebam o aumento de 14,95% deste ano?

Por lei, a correção salarial é em primeiro de janeiro. A estas alturas, em março, professores que ainda não receberam devem correr se quiserem conquistar o aumento.

E o que deve ser feito na prática, em sua opinião?

Infelizmente, creio que para forçar prefeitos e governadores que infringem a lei do piso é preciso uma ação mais firme, como greve por tempo indeterminado, por exemplo. É possível também recorrer à Justiça, mas aí o processo é muito demorado.

Continua, após o anúncio.

Gestores dizem que não há recursos para pagar os 14,95% de forma linear...

Mentira. Basta consultar o site do Banco do Brasil. Os recursos carimbados do Fundeb vêm crescendo desde o segundo semestre de 2021. Além disso, a complementação da União neste ano sobe de 15% para 17%. Se a categoria for atrás, os recursos aparecem.

Siga-nos!

Cremos que você gosta de nossas publicações e quer nosso site sempre atualizado. Por isso, ajude com uma doação, pois temos vários custos a honrar todos os meses. Sem seu apoio, ficamos inviabilizados de dar sequência com regularidade ao nosso trabalho. Gratos, antecipadamente.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org

João R P Landim Nt

Mais recentes sobre piso do magistério

No entendimento de José Professor Pachêco e Renato Coelho de Farias, a correção do piso deve ser pelo custo aluno executado, e não pelo custo aluno estimado. Deste modo, índice de 2024 é 4,70%, e não 3,62%. Nesta linha, valor nominal deste ano é R$ 4.633,44, em vez de R$ 4.580,57. Foi o que divulgamos aqui em matéria do Dever...

De acordo com o critério de correção anual, índice passa a ser 4,70%, e não os 3,62%, calculados com base em Portaria Interministerial anterior. E valor nominal sobe de R$ 4.480,57 para R$ 4.633,44. Estados e municípios receberão mais de meio bilhão de reais extras do Fundeb.