Pec do senador bolsonarista que dá calote na Educação deve ter votação final nesta terça

21/09/2021

Na votação de primeiro turno, oposição ao governo garantiu que não se mexesse nos 70% dos recursos do Fundeb destinados ao pagamento de professores. A Pec 13/21, porém, prevê um senhor calote na educação.

Publicidade

Senador Marcos Rogério propõe calote nas verbas da Educação. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado.
Senador Marcos Rogério propõe calote nas verbas da Educação. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado.

Educação | Segundo a Agência Senado (20):

"Nesta terça-feira (21), às 16h, o Plenário do Senado deve analisar, em segundo turno, o substitutivo à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 13/2021, que isenta de responsabilidade gestores públicos pela não aplicação de percentuais mínimos de gastos em educação em 2020 e 2021, devido à pandemia."

Doença como pretexto para calote

O esdrúxulo projeto que usa o coronavírus como desculpa para desobrigar prefeitos e governadores de aplicar as verbas constitucionais da Educação — dar calote no setor — é de autoria do senador bolsonarista Marcos Rogério (DEM-TO). O parecer da matéria foi apresentado pela senadora Soraya Thronicke (PSL-MS).

Vitória parcial

Na votação de primeiro turno, medida teve 57 votos favoráveis ao calote na Educação e 17 contrários. Nesse processo, no entanto, oposição conseguiu que o mínimo de 70% dos recursos do Fundeb continuassem para o pagamento dos professores. 

Ficou assegurado também que as verbas da Educação não seriam misturadas com as da Saúde, o que certamente traria problemas para as duas pastas, em particular para a do setor educacional.

CNTE denuncia

"No momento em que as escolas mais necessitam de investimentos para adequar a infraestrutura, a inclusão digital, os materiais pedagógicos e os equipamentos de proteção para o retorno seguro às aulas presenciais - com plena vacinação da população -, o parlamento nacional se dedica a aprovar medida para isentar governadores, prefeitos e seus respectivos secretários de educação pela não aplicação do mínimo constitucional", diz nota da entidade.

Assista à sessão no Senado

Com informações de: Agência Senado e CNTE


Compartilhe e curta abaixo nossa página no Facebook e Twitter, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite para deixar uma doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

PIX - Celular 86988453625 João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre economia

Professora diz que, mesmo com reajuste de 33,23%, não está fácil pagar gasolina a quase R$ 10,00 e gás de cozinha em torno de R$ 140,00. Educadora pede que o presidente faça alguma coisa para resolver o problema.
Dados da Secretaria do Tesouro Nacional e do Banco do Brasil mostram tendência de crescimento nas verbas do FPM e Fundeb, fenômeno que vem desde janeiro de 2021. Prefeitos e governadores podem perfeitamente, por exemplo, hornar reajustes salariais para o funcionalismo, em particular em relação ao índice de 33,23% do magistério.