O piso dos professores e os recursos do Fundeb no mês de janeiro! Confira seu Estado e compartilhe...

01/02/2019
Imagem: Dever de Classe
Imagem: Dever de Classe

Prefeitos e governadores, segundo dados do Banco do Brasil, podem pagar o reajuste do piso do magistério

EconomiaEducação | O piso nacional do magistério é atrelado ao Fundeb. É com 60% dos recursos desse fundo que prefeitos e governadores pagam os salários dos educadores. Com o restante, 40%, mantêm as escolas. Em 2020, o Fundeb acaba, o que pode gerar problemas no pagamento dos profissionais do magistério e na manutenção dos estabelecimentos de ensino. Ao final da matéria, veja quanto seu Estado recebeu em janeiro deste ano.

Leia também: Fim do Fundeb deixa incerto o pagamento dos professores! 


Não acabar

Diante da proximidade do encerramento do Fundeb, o Senado discute a PEC 24/2017, que torna esse fundo permanente. Matéria está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). 


Recursos de janeiro

Continua, após o anúncio.

Como se vê pelo dados do Banco do Brasil, pelo menos por enquanto gestores não podem falar que não têm dinheiro para garantir os 4,17% de reajuste no piso do magistério neste 2019. E retroativos ao 1º dia do ano.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre economia:

Não é pouco dinheiro. Só de salário, em 2022 foram R$ 260.717.886. Em 2023, parlamentares já tiveram 16,37% de aumento neste mês de janeiro e terão mais 6,12% em abril, o que elevará a conta ainda mais. Isto sem falar nas incontáveis outras regalias que têm. Confira tabela.
Cerca de 15% dos jovens de 15 a 29 anos, que correspondem a 7,6 milhões de pessoas, não frequentavam escola formal, não trabalhavam e não estavam procurando trabalho em 2021. Estudo foi publicado recentemente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).
Registro é do ex-deputado Federal Alexandre Frota. Os gastos sigilosos do capitão aumentaram 108% durante a campanha eleitoral de 2022, em comparação com a média mensal do ano anterior. Brasileiros têm direito de saber com o que foi gasto tanto dinheiro.