Após anúncio oficial, governos já falam em pagar piso dos professores!

17/01/2020

Educação / Lei obriga todos os prefeitos e governadores a creditar agora em janeiro o percentual de 12,84% nos contracheques do magistério.

COMPARTILHE!

Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro confirmou ontem (16) o reajuste de 12,84% no piso do magistério para este ano, conforme o DEVER DE CLASSE já havia antecipado AQUI no final de 2019. Após o anúncio, muitos prefeitos e governadores já se programam para cumprir esse direito dos educadores. Crédito nos contracheques deve ser já a partir deste mês de janeiro. Continua, após o anúncio.

Teresina sai na frente

Segundo matéria (17) do site Cidade Verde, o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) "já se reuniu com o secretário de Finanças, Francisco Canindé, e pediu um estudo sobre o impacto do reajuste nas contas municipais — mas já autorizando o pagamento."

Outra que pode cumprir também sem maiores problemas é a governadora Fátima Bezerra (PT-RN). Segundo uma fonte, Fátima já teria se reunido com assessores para ver o impacto do aumento. "Ela é oriunda das lutas do sindicato da educação e não trairá suas origens", diz.

Ano eleitoral favorece

O ano eleitoral favorece os educadores. Em 2020 ocorrerão eleições para prefeitos em todos os municípios do País. Gestores atuais são candidatos ou apoiam alguém. Governadores também se envolvem de forma ativa nos pleitos. Isto favorece a luta e o pagamento do piso.

O DEVER DE CLASSE está fazendo um levantamento de outros estados e municípios sobre a situação. Acompanhe nossas redes sociais e se atualize sobre o tema.

COMPARTILHE!

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

1932. O mafioso Al Capone começa, em Atlanta, a cumprir uma sentença de onze anos de prisão por sonegação de impostos.

1979. Margaret Thatcher vence as eleições gerais do Reino Unido e torna-se a primeira mulher a ser primeira-ministra britânica.

No entendimento de José Professor Pachêco e Renato Coelho de Farias, a correção do piso deve ser pelo custo aluno executado, e não pelo custo aluno estimado. Deste modo, índice de 2024 é 4,70%, e não 3,62%. Nesta linha, valor nominal deste ano é R$ 4.633,44, em vez de R$ 4.580,57. Foi o que divulgamos aqui em matéria do Dever...