Fechamento de ministério pode levar a depressão e até a suicídios, alerta psicólogo! Leia e compartilhe...

11/11/2018 10:07

Situação tende a ser mais depressiva e frustrante entre os servidores que votaram no capitão e que já passam no momento por algum outro problema relevante, como questões de dívidas financeiras ou rupturas amorosas indesejáveis

Saúde | Ao anunciar que pretende fechar o Ministério do Trabalho, o presidente eleito Jair Bolsonaro provocou uma onda de pânico nos servidores do órgão. Muitos funcionários e seus familiares estão bastante apreensivos. Em alguns casos, o clima é de total desespero. Diante do problema, o psicólogo carioca Carlos N Silva alerta que a inusitada situação pode levar a estados depressivos e até a suicídios de funcionários da pasta. Mas diz também que ninguém deve se desesperar.


Leia também:

"Estou sem dormir. E o pior que acreditei no capitão", diz emocionada uma funcionária do Ministério do Trabalho!

Em clima de pânico, eleitor de Bolsonaro (servidor do Ministério do Trabalho) pede que o presidente não feche o MT!

Silva diz que, principalmente para os servidores que votaram no capitão reformado do Exército, a política de fechar o MT traz uma dupla decepção, o que leva de imediato a oscilações de comportamento que vão do não querer acreditar que a coisa realmente foi anunciada a achar que terão salários congelados e até mesmo que podem ser demitidos. É disso que podem surgir estados depressivos e até inclinação a suicídio entre os funcionários mais frágeis emocionalmente. (Continua, após o anúncio).


Agravantes

O psicólogo diz ainda que o problema é potencializado entre os servidores que já passam por alguma dificuldade no momento, como problemas de dívidas financeiras ou que envolvam questões de relacionamento, como rupturas amorosas indesejadas. "Se a pessoa já passa por um problema que o afeta de forma considerável, a notícia de que seu local de trabalho será fechado torna esse problema muito maior", diz o psicólogo.


É preciso serenidade

Silva diz por fim que é preciso serenidade para enfrentar tal situação. "Ninguém deve se desesperar. Todo problema tem solução. Não se sabe nem ao certo se Bolsonaro vai cumprir mesmo a promessa de fechar o ministério. Todos precisam entender também que, ainda que o MT seja fechado, ninguém poderá ser demitido. Portanto, é preciso tranquilidade para enfrentar o problema. Dificuldades fazem parte da vida", conclui.

Leia também:

Educação | O piso nacional dos professores pode estar com seus dias contados. Segundo matéria do site Congresso em Foco, a Confederação Nacional dos Municípios — CNM — quer apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para rever as regras do Fundeb. Proposta é também endossada pela ONG "Todos pela Educação". Continua, após o anúncio....