Em clima de pânico, eleitor de Bolsonaro (servidor do Ministério do Trabalho) pede que o presidente não feche o MT! Assista e compartilhe...

10/11/2018

Após o capitão anunciar que pretende fechar o Ministério do Trabalho, criou-se um clima de desespero entre os servidores do órgão e suas famílias

Política | Durante manifestação dia 9 no Ministério do Trabalho em Brasília, centenas de servidores pediram ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) que volte atrás e não feche essa pasta. O capitão declarou pela mídia que o MT deixará de existir tão logo ele tome posse em janeiro. Segundo um servidor que preferiu não se identificar, o clima é de desespero entre funcionários e suas famílias.

Leia também: 

Fechamento de ministério pode levar a depressão e até a suicídios, alerta psicólogo! Leia e compartilhe...

"Estou sem dormir. E o pior que acreditei no capitão", diz emocionada uma funcionária do Ministério do Trabalho!

Outro manifestante, conforme vídeo abaixo que circula no Facebook, pediu pelo não fechamento do MT e, além de se declarar eleitor de Bolsonaro, disse que a medida é injusta, pois não foi discutida com os servidores da casa. Muitos outros manifestantes presentes também se declararam eleitores do 'mito' e, com isso, esperam que o militar reformado do Exército se sensibilize e mantenha o órgão criado há quase 90 anos.


Assista o apelo após o anúncio e compartilhe!

Leia também:

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.