Decisão tomada por CPI da Covid pode levar Bolsonaro a penas de até 18 anos de cadeia e multas

11/08/2021

Os senadores Renan Calheiros — presidente da Comissão —, Omar Aziz e Randolfe Rodrigues discutiram a medida nesta quarta (11). Relatório interno detalhado foi elaborado. Dentre os possíveis crimes cometidos pelo presidente estão o de charlatanismo, curandeirismo, de epidemia, propaganda enganosa e outros.

Publicidade

Foto: Agência Brasil.
Foto: Agência Brasil.

Política | Decisão tomada por CPI da Covid pode levar o presidente Jair Bolsonaro a penas de até 18 anos de cadeia e multas. Segundo matéria da Folha de S.Paulo (11), a Comissão Parlamentar de Inquérito deliberou sugerir o indiciamento do capitão pelos crimes de curandeirismo, charlatanismo, de epidemia e de publicidade enganosa, entre outros.

Os senadores Renan Calheiros — presidente da Comissão —, Omar Aziz e Randolfe Rodrigues discutiram a medida nesta quarta (11). Relatório interno detalhado foi elaborado elencando todos os ilícitos e penalidades.

Matéria da jornalista Mônica Bergamo, Folha de S.Paulo (11), diz: 

"De acordo com Renan Calheiros, a decisão [sugerir indiciamento de Bolsonaro] foi tomada depois da primeira parte do depoimento do diretor da farmacêutica Vitamedic, Jailton Barbosa, em que ficou claro que a empresa patrocinou a publicidade do tratamento precoce e do kit covid, que incluía a ivermectina, como se ele tivesse efeito contra a Covid-19, o que não é verdadeiro."

"O presidente Jair Bolsonaro foi um dos principais propagadores do uso do remédio no tratamento da Covid." Continua, após o anúncio.

Prova do crime

Vários vídeos divulgados pelo próprio presidente o incriminam. O senadores encontraram pelo menos sete deles, entre os quais lives, discursos ou conversas com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada.

A Folha diz ainda que: "Os senadores vão enquadrar também as fabricantes de ivermectina".

Já passou da hora de conter esse capitão da morte.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

"Já falei mais de mil vezes: o que define o reajuste é o texto da lei 11.718, que continua totalmente em vigor. Além disso, o índice de 33,23% é baseado em portarias interministeriais do governo federal, algo que também já foi definido em 2021. O anúncio oficial por parte do MEC é só uma mera formalidade, não faz parte...
Inimigos do magistério insistem na tese falsa de que o critério de reajuste do piso nacional da categoria, fixado na Lei 11.738/2008, perdeu sua eficácia, algo que a CNTE desconstrói facilmente a todo instante, com argumentos baseados na lei. Jurista consultado pelo Dever de Classe orienta educadores a não dar ouvidos às mentiras do governo e CNM,...
Entidade rebate mentiras do MEC e declara em Nota Pública que "mantém o entendimento de plena vigência da Lei 11.738 e lutará pela aplicação do reajuste de 33,23% ao piso do magistério, em todos os entes da federação, seguindo a determinação da ADI 4848, STF."