Novo Brasil | Professores que entraram depois de 2003 perdem até 40% do salário. Saiba mais e compartilhe...

22/02/2019 10:04

Presidente Bolsonaro e alguns de seus apoiadores. Escalada para acabar aposentadoria dos trabalhadores só pode ser barrada com Greve Geral. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Presidente Bolsonaro e alguns de seus apoiadores. Escalada para acabar aposentadoria dos trabalhadores só pode ser barrada com Greve Geral. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Se a Reforma do governo Bolsonaro passar, educadores receberão apenas 60% do salário após aposentadoria, caso não tenham contribuído por no mínimo 40 anos à previdência. E não é 60% do salário atual, e sim da média aritmética simples de salários mais baixos de anos anteriores. Ou seja, a coisa é bem pior do que se imagina

Economia | Crueldade. Este é o termo usado por muitos professores para qualificar a proposta de Reforma da Previdência enviada pelo presidente Bolsonaro ao Congresso Nacional. Medida impõe mais tempo de sala de aula e amarras para que os docentes se aposentem com perdas de até 40% em seus salários. Abaixo, síntese das novas e draconianas regras de transição para os educadores das redes públicas.

LEIA TAMBÉMCom reforma, professores podem tentar mudar de função, para evitar mais tempo em sala de aula e doenças!


Professores que ingressaram no serviço público, em cargo efetivo, até 31 de dezembro de 2003:

  • Terão benefício integral, DESDE que tenham 65 anoshomem, e 62mulher. Idade, obviamente, é casada ao tempo mínimo de contribuição. É importante lembrar que idade mínima subirá toda vez que o governo concluir que expectativa de vida do povo aumentou. Na prática, o professor nunca saberá quando terá o direito de ir para casa.

Leia tambémProfessor simula cálculo pelas regras anunciadas e vê perplexo que perde R$ 2.170,49 ao se aposentar!


Professores que entraram no serviço público depois da data supracitada:

  • Só terão aposentadoria integral se tiverem 40 (quarenta) anos de contribuição à previdência, mesmo que já tenham alcançado idade de  mais de 65 anos no ato de se aposentar.
  • Neste caso, se um professor ou professora — já bastante cansados — decidirem se aposentar antes desse tempo mínimo de contribuição — podem perder até 40% e levar só 60% do salário.
  • DETALHE: Não é 60% do salário atual do educador, e sim da média aritmética simples dos salários de contribuição desde julho de 1994. Ou seja, o governo quer pegar salários mais baixos de anos anteriores para diminuir ainda mais o valor já rebaixado dos 60% a que os mestres teriam direito. Leia: Professor simula e vê perda de mais de R$ 2 mil
  • Para os desse grupo, caso queiram média maior de aposentadoria, é necessário continuar na sala de aula e contribuir mais. A cada ano a mais de contribuição e labuta, soma-se apenas 2% ao valor da futura aposentadoria, até chegar ao limite de 100%. Quem conseguirá?

Com informações de: O Globo

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Leia também: