Fim da clandestinidade: argentinas conquistam o legítimo direito ao aborto! E no Brasil?

30/12/2020

Aborto legal, no hospital", gritava uma multidão à favor da medida. A vice-presidente do país — Cristina Kirchner — comandou a histórica sessão no Senado. Muita comemoração. Vitória das mulheres na Argentina deve repercutir no Brasil.

Publicidade

Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Mundo | Acabou o aborto clandestino na Argentina. Em sessão histórica que durou 12 horas, as mulheres argentinas conquistaram na madrugada de hoje (30) no Senado o direito de abortar em qualquer situação, desde que até à 14ª semana da gravidez. Antes, interrupção no país só era permitida em casos de estupro e risco de morte da mãe.

O presidente Alberto Fernandez e a vice Cristina Kirchner foram favoráveis ao projeto. Cristina comandou a votação. Foram 38 votos a favor e 29 contra, além de 1 abstenção.

Comemoração

Festa é grande. "Aborto legal, no hospital", gritava uma multidão à favor da medida, enquanto alguns saíram cabisbaixos e lamentaram a derrota pelas ruas em algumas cidades do país. 

Decisão deve repercutir no Brasil. Após o anúncio, vote na enquete e veja mais detalhes da importante decisão argentina.

Vote na enquete!

Acabou a criminalização e as mortes em clínicas clandestinas

Com a decisão do Senado argentino, acaba a criminalização e, naturalmente, abortos feitos em clínicas clandestinas e sem qualquer estrutura hospitalar no país. Tais procedimentos ceifavam a vida de muitas mulheres das classes sociais mais baixas ou, no mínimo, lhes deixava com sequelas graves para o resto da vida. As filhas da burguesia e da classe média alta não corriam esse risco, pois quando abortavam o faziam em estabelecimentos médicos com total segurança.

Outra sociedade, outro Estado

"Amanhã a sociedade argentina já não será mais a mesma. O Estado não será o mesmo porque não continuará a nos empurrar à clandestinidade. Conquistamos nosso poder de decidir", afirmou a senadora Anabel Fernández Sagasti, uma das últimas a discursar e a defender o voto favorável à aprovação. (Folha de S.Paulo, 30/11/2020). Continua, após o anúncio.

Repercussão no Brasil

Histórica e importante decisão Argentina repercutiu no Brasil. Enquanto pelas redes sociais esquerda e progressistas comemoram, conservadores — ligados principalmente ao presidente Bolsonaro  — dizem que senadores argentinos são criminosos. Os chorosos fazem parte da mesma turma que apoia assassinato e prisão de criança que rouba um biscoito em algum grande supermercado de nossas cidades. 

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Facebook para receber atualizações sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este tema!

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...