Custo da Cesta Básica cresce e ricos tomam vinho de 60 mil reais

05/07/2024

PIX Caixa: 

pix@deverdeclasse.org

PIX Vakinha:

3435969@vakinha.com.br

Sua contribuição é crucial, pois ajuda na cobertura dos custos mensais da página, para que possamos mantê-la atualizada. Obrigado.

 pós uma semana de trabalho duro, seu Zé entra em um mercadinho do bairro e pergunta quanto custa uma garrafa de 51. "Na promoção, dá para sair por R$ 15,90", diz um vendedor. Seu Zé abre o celular, vasculha o aplicativo do banco, faz umas contas de cabeça e diz — vou levar. Quando chega no caixa, com outras mercadorias para casa, percebe que não há saldo suficiente...

Em um outro ponto da cidade, um sujeito branco, roupa e sapatos de marca entra em um restaurante de luxo, senta e o garçom pergunta se ele quer o de sempre. O moço diz não, alega estar meio descapitalizado e manda trazer "aquela outra bebida mais barata". O atendente traz então uma garrafa de Château Mouton Rothschild 2000, cujo preço, segundo o site especializado Vinho Ideal, é R$ 21.800.

São histórias ilustrativas, a partir de fatos reais. Enquanto os trabalhadores brasileiros se viram nos 30 para dar conta da carestia, que não para de crescer, alguns poucos ricos vivem na esbórnia e esbanjam dinheiro que ganham na jogatina do mercado financeiro, às custas do sofrimento da maioria do povo. Em junho, segundo o Dieese, os preços dos produtos da Cesta Básica subiram em dez capitais, de 17 pesquisadas. Leia AQUI.

Ajuste fiscal

Enquanto os preços dos alimentos sobem e ricos tomam vinho "mais barato" de R$ 21 mil, esses mesmos milionários estão com a faca no pescoço do presidente Lula, tentando fazer com que ele ataque o salário mínimo, aposentadoria dos trabalhadores e outros benefícios sociais. Parece mesmo coisa de outro planeta. Mas não é. 

Confira a lista abaixo, gente que toma garrafa de vinho de R$ 60 mil ou mais.

Anúncio

Os dez mais ricos do Brasil (2024 — Revista Forbes, em dólares)

  1. Eduardo Saverin - US$ 28 bilhões

  2. Jorge Paulo Lemann - US$ 16,4 bilhões

  3. Marcel Herrmann Telles - US$ 10,9 bilhões

  4. Carlos Alberto Sicupira - US$ 8,9 bilhões

  5. Fernando Roberto Moreira Salles - US$ 7,6 bilhões

  6. Pedro Moreira Salles - US$ 7,1 bilhões

  7. André Esteves - US$ 6,6 bilhões

  8. Alexandre Behring - US$ 6,3 bilhões

  9. Miguel Krigsner — US$ 5,7 bilhões

  10. João Moreira Salles - US$ 5,3 bilhões

Compartilhe!

Tópicos relacionados:

Dez matérias mais recentes:

Projeto aprovado na Câmara é praticamente o mesmo criado no governo do golpista Michel Temer e só atende a interesses de privatistas. Estudantes terão de conviver com o monstrengo dos itinerários (de)formativos, e docentes terão sobrecarga de trabalho.