Urgente | Professores têm perdas de 62,22% relativas ao piso do magistério! Leia e compartilhe...

10/02/2019

Professor deve procurar assessoria jurídica do sindicato ou advogado particular para ingressar na justiça e receber percentuais não pagos dos últimos cinco anos

Educação | De 2010 até 2014, reajustes do piso do magistério somaram 62,22%. Tal percentual — que corrigido certamente daria um bom dinheiro para os professores — infelizmente não pode mais ser cobrado na justiça, pois o Poder Judiciário só atende reclamações neste sentido dos últimos cinco anos. No entanto, os educadores ainda podem receber os índices não pagos de 2015 até 2019. Percentual desse período é de 42,99% que, também com juros e correção monetária, certamente dá um bom valor. Ver detalhes após o anúncio.

*Em alguns estados e muitos municípios, professores receberam os percentuais relativos a cada ano contidos no Gráfico 1.


Receber 2015 a 2019

Para receber os anos de 2015 a 2019, professores devem procurar a assessoria jurídica do seu sindicato ou então um advogado particular. No caso de 2019, como o ano ainda está em curso, sindicatos preparam mobilizações para pressionar prefeitos e governadores. O índice deste ano, conforme está no gráfico 2, é de 4,17% e já deveria estar nos contracheques de todo mundo desde o mês de janeiro.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Leia também:

Professora diz que, mesmo com reajuste de 33,23%, não está fácil pagar gasolina a quase R$ 10,00 e gás de cozinha em torno de R$ 140,00. Educadora pede que o presidente faça alguma coisa para resolver o problema.
Dados da Secretaria do Tesouro Nacional e do Banco do Brasil mostram tendência de crescimento nas verbas do FPM e Fundeb, fenômeno que vem desde janeiro de 2021. Prefeitos e governadores podem perfeitamente, por exemplo, hornar reajustes salariais para o funcionalismo, em particular em relação ao índice de 33,23% do magistério.