Prefeito e governador se unem para dar calote no piso dos professores

05/03/2020

Educação / Reajuste de 12,84% do magistério está valendo desde janeiro e pouquíssimos gestores até agora cumpriram. Nem o poderoso governador João Doria (PSDB) quer pagar.

COMPARTILHE!

Publicidade

Prefeito Firmino Filho (PSDB) e governador Wellington Dias (PT) Foto: Meio Norte/Reprodução
Prefeito Firmino Filho (PSDB) e governador Wellington Dias (PT) Foto: Meio Norte/Reprodução

O prefeito Firmino Filho (PSDB) frustrou a categoria dos educadores municipais de Teresina ao anunciar um reajuste retroativo a janeiro de apenas 6,42%. Percentual de correção do piso do magistério para este ano é de 12,84%. A partir de agosto, o tucano promete complementar sua proposta com mais 6,42%. Mas sem retroativo.

Na prática, como denuncia o Sindserm-The, Firmino quer copiar o governador Wellington Dias (PT) e dar um calote nos servidores. Dias até agora ofereceu apenas um abono-alimentação para o pessoal da ativa e uma promessa de pagar o índice de 4,17% referente a 2019 quando o Estado estiver em melhores condições financeiras.

Respostas da categoria: educação estadual do Piauí está em greve desde o dia 10 de fevereiro e servidores municipais de Teresina vão também paralisar as atividades a partir do dia 10 deste mês.

Descaso é nacional

O descaso com os educadores não ocorre apenas no Piauí. São Paulo, por exemplo, o Estado mais rico do Pais, também não cumpre a lei do piso do magistério. O governador João Doria (PSDB) ofereceu apenas um abono para os professores. O problema, portanto, é nacional.

O que diz a lei

A Lei Federal 11.738/2008 vincula as atualizações do piso ao mesmo crescimento do custo aluno (Fundeb), e impõe outras medidas, como veremos a seguir.

1. O artigo 4º da lei do piso diz que a União deverá complementar com recursos financeiros estados e municípios que comprovarem não poder pagar os reajustes. Em outras palavras: se um Estado ou município diz que não pode pagar, mas não prova à União o que diz, é porque na verdade não paga porque não quer. Continua, após o anúncio.

2. O § 1º desse mesmo artigo 4º diz que o ente federativo deverá apenas "justificar sua necessidade e incapacidade, enviando ao Ministério da Educação solicitação fundamentada, acompanhada de planilha de custos comprovando a necessidade da complementação de que trata o caput deste artigo." Por que estados e municípios que não pagaram o reajuste ainda não fizeram isso?

Por fim, o artigo 4º diz também em seu § 2º que: "A União será responsável por cooperar tecnicamente com o ente federativo que não conseguir assegurar o pagamento do piso, de forma a assessorá-lo no planejamento e aperfeiçoamento da aplicação de seus recursos." Continua, após o anúncio.

Por outro lado, o § 5º do artigo 2º garante o pagamento do reajuste para aposentados e pensionistas. Ou seja, não somente o pessoal da ativa tem direito.

Em suma: além de dinheiro carimbado, caso do Fundeb, e das complementações da União, o governo federal oferece ainda assessoria técnica para que estados e municípios cumpram a lei e paguem o piso. Não há, portanto, motivos para não pagar. 

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.