PL que ataca duramente o piso nacional dos professores será analisado na próxima semana

01/08/2020

Secretário de Administração e Finanças da CUT — Ariovaldo de Camargo — diz que será preciso uma forte  mobilização para impedir que o piso nacional seja destruído.

COMPARTILHE!

Publicidade

Rodrigo Maia, presidente da Câmara. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados.
Rodrigo Maia, presidente da Câmara. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados.

Educação | O Projeto de Lei nº 3.776/2008 — que ataca duramente o piso nacional do magistério ao propor excluir custo-aluno e aplicar reajustes apenas pela inflação — será analisado na próxima semana na Câmara dos Deputados. Informe está em matéria no site da CUT. Ariovaldo de Camargo — secretário de Administração e Finanças da entidade — diz que será preciso uma forte pressão por parte dos educadores para evitar que o projeto seja votado no Congresso. Continua, após o anúncio.

Próxima semana

Segundo a matéria no site da CUT, o secretário de Administração e Finanças da entidade diz que há uma pressão muito grande de estados e municípios para destruir a política do piso salarial nacional. Mas a votação neste sentido que ocorreria em 29 de julho (quarta-feira) foi barrada por conta das pressões da própria CUT, CNTE e sindicatos filiados. Assim, afirma também a matéria, o projeto voltará a ser analisado na próxima semana. Continua, após o anúncio.

Pressão

Diz também o dirigente da CUT:

"Os prefeitos e governadores certamente vão continuar fazendo pressão para que o PL seja votado, mas nós faremos pressão para que ele não seja aprovado e nem votado no Congresso".

Ariovaldo alerta que os educadores têm que estar atentos à mobilização por este tema, porque é "crucial para uma política de valorização profissional nos próximos anos".

Como é hoje o reajuste do piso do magistério

  • Correção anual é pelo custo-aluno. Desde 2010, metodologia permitiu ganho real de salários para os educadores.

O que propõe o Projeto de Lei nº 3.776/2008

  • Correção apenas pela inflação. Se o PL for aprovado, já a partir de 2021 não haverá mais qualquer ganho real de salários para os educadores.

Curta abaixo nossa página e receba atualizações sobre esse tema.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Benefício será depositado na conta de professores e todos os demais servidores da educação ainda neste mês de dezembro. Detalhe do anúncio mostra que não é só do Fundeb que há sobras de recursos, algo que deve ser observado pelo magistério de todo o Brasil.
Medidas visam adequar prefeitura de Teresina à Reforma da previdência criada pelo presidente Jair Bolsonaro, do qual o prefeito José Pessoa (MDB) é forte aliado. Direção do Sindserm-THE chama mobilização para Câmara Municipal, com o intuito de barrar as horrendas iniciativas.
Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...