Ao falsificar currículo, novo ministro da Educação pode pegar até 6 anos de cadeia, diz jurista

27/06/2020 12:31

COMPARTILHE!

Carlos Alberto Decotelli declarou ter curso de Doutorado, mas foi desmentido pelo reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina.

Publicidade

Carlos Alberto Decotelli, ministro da Educação. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil.
Carlos Alberto Decotelli, ministro da Educação. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil.

Em sua conta no Twitter, o  jurista Marcelo Uchôa diz que Carlos Alberto Decotelli — novo ministro da Educação — infringiu o Código Penal, ao mentir sobre sua formação acadêmica. Os crimes cometidos por Decotelli, segundo Uchôa: falsificação de documento público e falsidade ideológica. Nestes casos, a pena de reclusão pode chegar a até 6 anos e multas, informa o jurista. Veja, após o anúncio.

O que diz o jurista no Twitter:

O caso

Carlos Alberto Decotelli declarou na Plataforma Lattes que concluiu curso de Doutorado na Universidade Nacional de Rosário, na Argentina. O reitor da Instituição, Franco Bartolacci, no entanto, o desmentiu publicamente.

Após o vexame e a desmoralização internacional, Decotelli resolveu alterar seu currículo Lattes e admitir que não defendeu tese de Doutorado.

O novo ministro é militar, oficial da reserva da Marinha. Um péssimo exemplo para os estudantes brasileiros.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...