Jovens de classe média e mulheres de empresários receberam de forma indevida o auxílio emergencial

21/05/2020

Cerca de 73 mil militares também meteram a mão indevidamente no dinheiro que seria destinado aos mais pobres.

COMPARTILHE!

Publicidade

Enquanto muitos recebem de forma indevida, dez milhões estão numa fila esperando primeira parcela de R$ 600. Foto: Agência Brasil
Enquanto muitos recebem de forma indevida, dez milhões estão numa fila esperando primeira parcela de R$ 600. Foto: Agência Brasil

Economia | Segundo matéria do Globo (21), jovens de classe média, mulheres de empresários, servidores públicos aposentados e outros receberam o auxílio emergencial indevidamente. Antes, já havia sido detectado que cerca de 73 mil militares meteram a mão nos recursos do auxílio também de forma indevida. 

Do lado oposto das irregularidades e numa interminável espera, dez milhões de brasileiros ainda aguardam o processamento de seus pedidos para ter acesso à primeira parcela do benefício de R$ 600. O presidente Bolsonaro e sua equipe econômica, como se vê, só são ágeis para pagar quem não atende aos critérios estabelecidos pelo próprio governo. Continua, após o anúncio.

Revolta

Ao saber que o auxílio emergencial está sendo pago de forma indevida, os que de fato precisam do benefício e ainda não receberam ficam ainda mais revoltados. Nas filas da Caixa, é comum ouvir as reclamações e críticas ao governo, como o dessa desempregada:.

"Esse governo Bolsonaro é um incompetente. Não tenho renda, vivo de bico, tô parada e estou há mais de mês tentando receber e nada. E aí vêm os bonitos e recebem. Sacanagem."

Redução para R$ 200

A equipe econômica do governo federal fala em reduzir o auxílio para R$ 200,00, conforme parte da mídia nacional anunciou hoje (21). Em breve, mais detalhes sobre este assunto

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.
No capitalismo, guerras são negócios, fome é negócio, crianças e idosos são negócios, miséria é negócio, "beleza" e "feiúra" são negócios, violência física e moral são negócios, o corpo é negócio, pessoas são negócio. Tudo é negócio...
"A lei do piso se transformará em mais uma norma sem sentido real". "Decisão se estenderá a todos os entes — estaduais e municipais." Ministro "Xandão" chegou a conclusão inusitada após embarcar em "informações e tese distorcidas prestadas pelo Estado do Pará". Avaliação consta em nota assinada pelo experiente advogado Walmir Brelaz, do Sintepp/Pa....