Mudança / Bolsonaro quer reduzir drasticamente valores de dívidas trabalhistas na Justiça!

02/11/2019

Publicidade

Economia / Medida vai ajudar a engordar ainda mais o caixa das grandes empresas e prejudicar os trabalhadores. Ações que já tramitam na Justiça podem também ser afetadas.

COMPARTILHE!

O presidente Bolsonaro e sua equipe econômica acabam de anunciar mais um golpe na classe trabalhadora. Segundo matéria de hoje (2) do Estadão, governo quer mudar a fórmula de correção dos débitos em ações trabalhistas. Isto reduzirá drasticamente os valores das causas ganhas pelos trabalhadores na Justiça do Trabalho. Continua, após o anúncio.

Atualmente, os valores devidos por uma empresa "são atualizados pelo indicador IPCA-E mais 12% ao ano. O projeto mantém o índice de inflação (IPCA), mas rebaixa o segundo componente da correção para o juro da poupança, que é bem inferior aos 12%. Medida pode valer inclusive para ações que já tramitam na Justiça. 

Perda enorme

Segundo ainda o Estadão, a área econômica do governo calcula que "o estoque de dívidas trabalhistas acaba tendo uma atualização de cerca de 16% ao ano pelas regras atuais — ou seja, o passivo dobra de valor em aproximadamente cinco anos. Com o novo parâmetro, essa correção cairia para algo em torno de 7% ao ano, levando mais de uma década para dobrar de valor." Ou seja, a perda para o trabalhador é muito grande.

"Criação de empregos"

Bolsonaro e sua equipe econômica alegam que a medida vai alegrar o ambiente das empresas e gerar mais empregos. Na verdade, o projeto é para alegrar os empresários, que terão no direito dos trabalhadores mais uma generosa fonte de lucros.

COMPARTILHE!

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Benefício será depositado na conta de professores e todos os demais servidores da educação ainda neste mês de dezembro. Detalhe do anúncio mostra que não é só do Fundeb que há sobras de recursos, algo que deve ser observado pelo magistério de todo o Brasil.
Medidas visam adequar prefeitura de Teresina à Reforma da previdência criada pelo presidente Jair Bolsonaro, do qual o prefeito José Pessoa (MDB) é forte aliado. Direção do Sindserm-THE chama mobilização para Câmara Municipal, com o intuito de barrar as horrendas iniciativas.
Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...