Governo do Piauí (PT) criou reforma da Previdência pior que a de Bolsonaro!

07/12/2019

Publicidade

Economia / CUT, outras centrais e sindicatos de servidores marcaram manifestação para dia 9 contra a drástica medida do governador.

COMPARTILHE!

O governador do Piauí Wellington Dias — PT — enviou à Assembleia Legislativa um pacote de maldades contra o funcionalismo estadual. Segundo análise de lideranças sindicais, carro chefe da política é uma reforma da Previdência pior que a imposta por Bolsonaro para os servidores federais e pessoal do setor privado. CUT, outras centrais e sindicatos que representam o funcionalismo marcaram um grande ato com paralisação para o dia 9, segunda-feira, para barrar o projeto. Movimento está marcado para começar às 8 horas na ALEPI e deve contar com milhares de manifestantes. Continua, após o anúncio.

Pior que a reforma do Bolsonaro

De acordo com análises de lideranças sindicais, a reforma do governo petista do Piauí é pior que a imposta por Jair Bolsonaro e Paulo Guedes. Além de aumentar idade mínima e criar regras draconianas para quem estiver perto de se aposentar, projeto do governador Wellington Dias taxa aposentados e pensionistas que ganham acima de um salário mínimo. Educação, por ser maioria, é o setor mais atacado.

Veja vídeos convocando para o grande ato do dia 9!

COMPARTILHE!

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.