Escultura em homenagem a Paulo Freire é inaugurada na Argentina e exposta no Ministério da Educação

20/09/2021

A obra foi elaborada pelos artistas Oscar de Bueno e Javier Vazquez, com assessoria técnica de Sebastian Terrazas. Enquanto isso, no Brasil, Bolsonaro louva o torturador Brilhante Ustra.

Publicidade

Artistas que fizeram uma das obras comemorativas do Centenário de Paulo Freire. Foto/reprodução.
Artistas que fizeram uma das obras comemorativas do Centenário de Paulo Freire. Foto/reprodução.

Educação | Enquanto no Brasil Jair Bolsonaro louva o torturador Brilhante Ustra, a Argentina homenageia Paulo Freire. No último dia 19 de setembro foi inaugurada em Buenos Aires a escultura do perfil do educador, em homenagem aos 100 anos de nascimento do patrono da educação brasileira. 

A obra foi elaborada pelos artistas Oscar de Bueno e Javier Vazquez, com assessoria técnica de Sebastian Terrazas. A escultura está exposta no hall de acesso ao salão branco do Ministério da Educação da Argentina

Após o anúncio, veja o vídeo que mostra o processo de produção da escultura.

Veja o vídeo que mostra que mostra o processo da escultura:

Fonte: CNTE

Compartilhe e curta mais abaixo nossa página no Twitter Facebook, para receber atualizações sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

PIX - Celular 86988453625 João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.