ECONOMIA | Além de demissão ou redução salarial, Temer apresenta outra indecente proposta para o funcionalismo! Saiba mais e compartilhe...

25/07/2017
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Num momento em que o país atravessa uma das maiores crises de desemprego e recessão de sua História, é no mínimo um criminoso quem propõe demissão de servidores públicos 

DA REDAÇÃO | O desgoverno Temer (PMDB) está mesmo disposto a acabar com a carreira dos servidores públicos brasileiros. Após divulgar na segunda-feira (24) um diabólico plano para demitir de imediato 5 mil servidores do Executivo, e propor também a ideia não menos maligna de reduzir carga horária e salários do funcionário que não aceitar ir para o olho da rua, o governo acrescentou na terça-feira (25) um novo ingrediente ao seu pacotaço de maldades: licença sem vencimentos de pessoal por até seis anos. É muita lternativa para induzir o funcionalismo a aceitar morrer de fome. Estados e municípios devem seguir na mesma linha, como veremos no final da matéria..

AS TRÊS PROPOSTAS DO DESGOVERNO TEMER:

  1. Plano de Demissão "Voluntária" — PDV. Temer quer atingir 5 mil servidores logo na primeira fase do programa e economizar R$ 1 bilhão por ano. Quem aceitar, receberá 1,25 salário para cada ano trabalhado. Exemplo: Se você tem 10 anos de trabalho e ganha R$ 2 mil por mês, você receberia R$ 25 mil. O programa deve ficar aberto até 2022. Tradicionalmente feitos à base de terrorismo, os PDVs, de voluntário, só tem mesmo o nome. Os servidores são ameaçado de não mais receberem reajustes ou promoções e alguns são até transferidos dos seus locais de trabalho. Pressão pura, para obrigar o servidor a "aderir". Agora com a PEC 55, que congela reajustes reais de salários por 20 anos, fica ainda mais fácil para o governo pressionar. 
  2. Redução da jornada de trabalho e de salários. Consiste na diminuição proporcional do salário — de 8 horas diárias para 6 ou 4 horas. Na prática, o servidor pode perder até 50% dos seus rendimentos. O governo promete um "prêmio" de 30 minutos por dia para quem aceitar essa outra esparrela.
  3. Licença sem vencimento. A proposta é que o servidor fique afastado por três anos consecutivos, prorrogáveis por outros três, e receba como "incentivo" o equivalente a três meses da remuneração. Ou seja, o funcionário a cada 36 meses recebe três de salário. Quem é louco de aceitar isso?

TEMER NÃO PASSA DE UM CRIMINOSO

Num momento em que o país atravessa uma das maiores crises de desemprego e recessão de sua História, é no mínimo um criminoso quem incentiva demissão de servidores públicos. Os que por ventura forem atingidos por tal trajédia, na prática em pouco tempo estarão sem emprego e sem possibilidade de arranjar um novo posto de trabalho, sobretudo os acima de 30 anos.

ESTADOS E MUNICÍPIOS NA MESMA LINHA

As propostas do desgoverno Temer certamente serão copiadas nos estados e municípios. Com a imposição da PEC 55, que congela reajuestes reais de salários por 20 anos, prefeitos e governadores vão aproveitar para também pressionar servidores a irem para o olho da rua. 

Com informações de: Agência Brasil e Folha de S.Paulo

LEIA TAMBÉM:

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...