ECONOMIA | Temer anuncia demissão de milhares de servidores para economizar R$ 1 bi por ano! Saiba mais e compartilhe...

24/07/2017 21:44

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

O resultado de todo plano de demissão é desestruturação familiar, falência individual e muitos suicídios. Algo temeroso, portanto, e que só poderia vir de um desgoverno como o de Michel Temer. Servidores da União, estados e municípios, todos estão com os empregos ameaçados. Cinco mil serão atingidos na primeira fase

DA REDAÇÃO ' Michel Temer (PMDB) anunciou ontem (24) a demissão de milhares de servidores públicos para economizar R$ 1 bi por ano na folha de pessoal do Poder Executivo. É mais desemprego e arrocho à vista. Medida, segundo a equipe econômica do governo, visa conter despesas para "equilibrar" as contas públicas do país. A verdade, contudo, é outra. Temer quer à disposição mais dinheiro para as gastanças com pagamento de juros da dívida pública a banqueiros e farra de aliados do "presidente" no Congresso Nacional. Projeto de demissão deve ser estendido a estados e municípios. Ver mais abaixo. 

O processo de enxugamento, diz matéria da Folha de S.Paulo (24), se dará através de um famigerado Programa de Demissão Voluntária (PDV), daqueles em que é encostada uma faca no pescoço do funcionário para, "pacificamente", convencê-lo a sair. "O desgoverno pretende pagar 1,25 salário para cada ano trabalhado. O programa deve ficar aberto até 2022." 

O resultado de todo PDV é desestruturação familiar, falência individual e muitos suicídios. Algo bastante temeroso, portanto, e que só poderia vir de um desgoverno como o de Michel Temer.

MORTE A BALA OU FACADA

Diz mais a Folha: "O plano terá ainda uma opção que não resultará na exoneração, mas na redução da carga horária, com diminuição proporcional do salário -de 8 horas diárias para 6 ou 4 horas. Neste caso, haverá um prêmio de 30 minutos por dia." 

Ou seja, ao servidor será dada a opção de morrer de bala (com a demissão imediata), ou de facada (mais lentamente, com a redução salarial). Esta morte mais lenta, o desgoverno chama de "prêmio".

Segundo o Ministério do Planejamento, os detalhes serão definidos por uma medida provisória que será enviada ao Congresso ainda nesta semana. A expectativa de Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, é ter pelo menos 5.000 adesões na primeira fase do PDV.

ESTADOS E MUNICÍPIOS

O desgoverno Temer, além de querer botar para fora os servidores federais, está também incentivando estados e municípios a fazerem a mesma coisa. A ordem é congelar salários por 20 anos, imposição da PEC 55, e também criar planos macabros para colocar mais funcionários no olho da rua. Governadores e prefeitos já estão a postos para isso.

LEIA TAMBÉM:

DA REDAÇÃO | O deputado Jair Bolsonaro (PSL-Rio) é só um laranja do PSDB, embora tenha conquistado uma legião de seguidores que tem forte antipatia pelos tucanos. Por que os fãs do "mito" não percebem que estão sendo enganados? Porque se guiam muito pela emoção e não por qualquer ínfimo sentido de racionalidade.