Diante do atual custo de vida, estudo do DIEESE mostra que salário mínimo deveria ser R$ 5.289,53

09/12/2020

O cálculo é feito levando em consideração uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças e segue o que diz a Constituição Federal de 1988.

COMPARTILHE!

Publicidade

Foto/Reprodução.
Foto/Reprodução.

Economia | De acordo com Pesquisa Nacional feita em novembro último pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o custo de vida está muito alto na maioria das capitais do País. Diante disso, e considerando a cesta básica mais cara, no Rio de Janeiro, o DIEESE diz que o salário mínimo nacional deveria ser R$ 5.289,53. Continua, após o anúncio.

Base do cálculo

O DIEESE explica que esse salário mínimo de mais de cinco mil reais para novembro último está calculado para uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças. O DIESSE leva em conta também nos seus cálculos o que diz o item IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988.

Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:

IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender às suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim.

COMPARTILHE!

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.
No capitalismo, guerras são negócios, fome é negócio, crianças e idosos são negócios, miséria é negócio, "beleza" e "feiúra" são negócios, violência física e moral são negócios, o corpo é negócio, pessoas são negócio. Tudo é negócio...
"A lei do piso se transformará em mais uma norma sem sentido real". "Decisão se estenderá a todos os entes — estaduais e municipais." Ministro "Xandão" chegou a conclusão inusitada após embarcar em "informações e tese distorcidas prestadas pelo Estado do Pará". Avaliação consta em nota assinada pelo experiente advogado Walmir Brelaz, do Sintepp/Pa....