Parlamentares gastam quase R$ 1,5 milhão com picanha especial, ostras e outras iguarias caras e gostosas

17/10/2021

Enquanto isso, milhões de brasileiros passam fome ou têm de se contentar, no máximo, com osso ou pescoço de frango.

Deputados e senadores comem do bom e do melhor às custas dos cofres públicos. Foto: arquivos Webnode.
Deputados e senadores comem do bom e do melhor às custas dos cofres públicos. Foto: arquivos Webnode.

Economia | Levantamento feito pelo site Metrópoles mostra que deputados e senadores torraram R$ 1.461.316,10 com alimentação até o último dia 30 de setembro. É quase um milhão e meio de reais com gastança gastronômica que envolve consumo de ostras, tambaqui com farofa, picanha especial, camarão ao molho de trufas, risoto com camarão rosa e rapadura, profiteroles ou petit gateau. Um delícia financiada com dinheiro público.

Enquanto isso, 20 milhões de brasileiros passam fome ou têm de se contentar, no máximo, com osso ou pescoço de frango. Uma vergonha mundial. Continua, após o anúncio.

Cota parlamentar

Os valores gastos por deputados e senadores são reembolsados pela cota parlamentar — que varia conforme o estado de origem dos parlamentares. A cota serve para bancar diversas despesas, que vão de passagens aéreas até alimentação.

Tudo dentro da lei. Lei deles, parlamentares

E a ostentação gastronômica é legal. De acordo com a matéria do Metrópoles, toda essa gastança é amparada por uma resolução interna que não estipula limites para gastos com alimentação bancadas pela cota parlamentar, a não ser o total reservado por mês. Teoricamente, um congressista pode usar todo o montante para comida, diz o site.

Com informações de: Cut Nacional

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite também para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org

João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre economia

Montante é 12,32% a mais que o recebido no mesmo período de 2022. Levando-se em conta que o reajuste do magistério deste ano (14,95%) é 18,29% menor que o de 2022 (33,24%), nada justifica dizer que não há dinheiro para a correção salarial deste 2023.
Com o Fundeb, montante sobe para 5,8 bi, isto é, 1,2 bi a mais. Recurso é referente ao 3º decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) deste mês de janeiro, maior 23,65% em relação ao mês período de 2022. Dados mostram que é possível cumprir reajuste do magistério deste 2023.
Não é pouco dinheiro. Só de salário, em 2022 foram R$ 260.717.886. Em 2023, parlamentares já tiveram 16,37% de aumento neste mês de janeiro e terão mais 6,12% em abril, o que elevará a conta ainda mais. Isto sem falar nas incontáveis outras regalias que têm. Confira tabela.