Candidato promete esvaziar escolas públicas a curto prazo e cortar supostas regalias dos professores! Leia e compartilhe...

03/09/2018
João Amoêdo (Novo) - O candidato de meio bilhão de reais que propõe desviar verbas do Fundeb para as escolas particulares / Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil
João Amoêdo (Novo) - O candidato de meio bilhão de reais que propõe desviar verbas do Fundeb para as escolas particulares / Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

"Como se trata de uma longa batalha com os sindicatos de professores para que tais benefícios (ou privilégios) sejam retirados, a solução mais prática para o curto/médio prazo seria retirar, gradativamente, os alunos das escolas públicas, passando-os para a escola privada", diz postagem no site do partido de Amoêdo

Educação | Dentre as bizarras propostas do candidato João Amoêdo ("Novo") para "melhorar" a educação pública está o desvio de dinheiro do Fundeb para as escolas particulares e o combate a supostas regalias dos professores. Em bom português: Amoêdo e seu partido querem esvaziar e avacalhar ainda mais as escolas públicas do País e penalizar mais ainda os profissionais do magistério. (Continua, após o anúncio).

O diagnóstico de quem odeia professor público

Postagem no site do partido de Amoêdo disse que os professores públicos de estados e municípios têm uma série de 'regalias", como: 

"estabilidade no trabalho, licença-prêmio, faltas ao trabalho sem a necessidade de apresentação de justificativa, licenças médicas de longa duração e outros benefícios que acabam por retirar o professor do local onde ele deveria estar, a sala de aula".


A solução apresentada: esvaziar as escolas públicas, mandar dinheiro para o setor privado e cortar as supostas regalias dos educadores

Veja, após o anúncio, a ameaça:

"Como se trata de uma longa batalha com os sindicatos de professores para que tais benefícios (ou privilégios) sejam retirados, a solução mais prática para o curto/médio prazo seria retirar, gradativamente, os alunos das escolas públicas, passando-os para a escola privada. Neste caso, as Secretarias de Educação ofereceriam aos pais desses alunos um voucher (vale) educacional [com dinheiro do Fundeb] que lhes daria a opção de escolher uma escola particular para matricular seu filho".

Após revolta de professores pelas redes sociais, João Amoêdo disse que tais propostas foram feitas por um "voluntário" do seu partido. O texto foi retirado do ar, evidentemente pela repercussão negativa que teve. No entanto, nada está mais em consonância com o que pensa esse candidato e seu partido do que as ideias que agora eles querem ocultar. João Amoêdo é um neoliberal convicto e quer privatizar tudo, inclusive as escolas públicas, através do redirecionamento de verbas do Fundeb para a educação privada.


Alerta

Os professores devem ficar alerta em relação a esse tipo de candidato. Embora tenha pouquíssimos simpatizante até aqui, é um milionário (declarou patrimônio de quase meio bilhão de reais) apoiado por donos de banco e que está investindo pesado nas redes sociais para tentar aparecer como novo e bonzinho. Segundo matéria do site congressoemfoco, Amoedo conta com um exército muito bem pago no Facebook, Twitter e Instagram para impulsionar sua candidatura. Quando as matérias desse moço aparecerem em sua rede social, não exite. Denuncie como spam.

Leia e compartilhe:

Levantamento é do jornal Estadão e choca os brasileiros, inclusive a maioria dos servidores públicos. O piso nacional do magistério para dois turnos em 2024, por exemplo, é apenas R$ 4.580,57.