Aborto pode ser legalizado na Argentina; senador radicalmente contra é suspenso por assédio sexual 

29/12/2020

Votação ocorrerá no Senado e projeção indica que favoráveis à legalização plena estão em ligeira vantagem. Em caso de empate, a vice-presidenta Cristina Kirchner decidirá a questão.

Publicidade

Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Mundo | O direito pleno ao aborto será votado novamente nesta terça-feira (29) no Senado argentino. Segundo matéria da Folha de S.Paulo (28), projeção indica que favoráveis à legalização estão em ligeira vantagem. "Estimativa mais recente projeta placar de 34 votos a favor da proposta e 32 contra." Em caso de empate, a vice-presidente Cristina Kirchner dará o voto de Minerva

Há dois senadores abertamente contra o projeto, mas não poderão participar da sessão. Um deles, muito conhecido, está em coma induzido. O outro, suspenso por responder a um processo de assédio sexual. Após o anúncio, vote na enquete e veja os detalhes principais da votação do projeto.

Vote na enquete!

Detalhes mais importantes da votação sobre o aborto na Argentina:

  • Local e data: Senado, às 16 horas de hoje — 29/12/2020.
  • Caso projeto seja aprovado, o que ocorre? Mulheres poderão abortar em qualquer situação, desde que até a 14ª semana de gravidez. Atualmente, interrupção só é permitida em casos de estupro ou risco de morte da mãe.
  • Previsão de resultado: favoráveis à legalização ganham de forma apertada.
  • Quem é mais radicalmente contra? Dois senadores: ex-presidente Carlos Menem. Mas não poderá votar, pois está em coma induzido. O outro é José Alperovich, suspenso por responder a um processo de assédio sexual. Ou seja, também estará fora da sessão. Continua, após o anúncio.
  • Posição do presidente Alberto Fernandez e da vice Cristina Kirchner: favoráveis e sem restrições ao projeto.
  • Por que em caso de empate é a vice-presidente quem dará o voto de Minerva? Na Argentina é o vice-presidente quem comanda as sessões do Senado e atua em caso de empate.
  • E os manifestantes? Os favoráveis se identificam com um lenço verde. Os contrários, com um lenço da cor celeste.

Com informações de: Folha de S.Paulo (28/11/2020).

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Facebook para receber atualizações sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este tema!

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.