Com péssima aceitação, apenas os mais ricos ainda toleram Bolsonaro, mostra Datafolha!

08/12/2019

Publicidade

Economia Maioria do povo não acredita em nada do que o presidente diz, aponta instituto.

COMPARTILHE!

A credibilidade do presidente Bolsonaro está cada dia mais rasteira. Segundo pesquisa Datafolha divulgada ontem (7), 42% dos entrevistados não creem em nada do que o capitão fala. Outros 37% afirmaram que só confiam às vezes. E apenas 19% acreditam sempre no que ele diz. Consulta mostra também que entre os menos endinheirados — ampla maioria da população —, a popularidade do presidente é um desastre. Somente os mais ricos, "religiosos" e brancos ainda o toleram, conforme veremos após o anúncio.

Ruim/péssimo

O Datafolha mostra em sua pesquisa divulgada ontem (7) que entre os setores de renda mais baixa, isto é, a ampla maioria da população, a popularidade de Bolsonaro é um desastre. Entre os que o consideram ruim ou péssimo, em (%):

  • mulheres: 41; mais jovens (16 a 24 anos): 41; mais pobres: 43; pretos: 46; desempregados: 48; indígenas: 50; nordestinos: 50; adeptos de religiões afrobrasileiras: 55.

Ótimo/bom

Segundo a mesma pesquisa Datafolha, o capitão só é tolerado entre os mais ricos, brancos e "religiosos". Veja, em %:

  • homens: 35; ensino superior: 35; brancos: 37; evangélicos neopentecostais: 39; moradores do sul: 40; mais de 5 salários mínimos: 54; empresários: 58.
Será que ele consegue chegar ao final do mandato?

COMPARTILHE!

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Benefício será depositado na conta de professores e todos os demais servidores da educação ainda neste mês de dezembro. Detalhe do anúncio mostra que não é só do Fundeb que há sobras de recursos, algo que deve ser observado pelo magistério de todo o Brasil.
Medidas visam adequar prefeitura de Teresina à Reforma da previdência criada pelo presidente Jair Bolsonaro, do qual o prefeito José Pessoa (MDB) é forte aliado. Direção do Sindserm-THE chama mobilização para Câmara Municipal, com o intuito de barrar as horrendas iniciativas.
Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...