"Votei no senhor. O senhor é o nosso capitão", diz mãe de servidor do Ministério do Trabalho! Leia e compartilhe...

12/11/2018 10:00

Após eleições, Bolsonaro vai a Brasília e se alia oficialmente a Michel Temer / Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Após eleições, Bolsonaro vai a Brasília e se alia oficialmente a Michel Temer / Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Segundo o experiente jornalista Josias de Souza — do UOL Notícias — o capitão Bolsonaro promete fazer uma lipoaspiração no organograma do governo. Em vez dos atuais 29 ministérios, sua administração teria apenas 15 pastas. Pânico toma conta dos servidores e de seus familiares

Economia | O presidente eleito Jair Bolsonaro confirmou que irá fechar o Ministério do Trabalho a partir de janeiro. Notícia deixou os servidores do órgão em estado de choque. Mas não é somente o MT que Bolsonaro pretende lacrar. Segundo o experiente jornalista Josias de Souza — em vídeo publicado dia 9 no UOL Notícias — o  capitão reformado do Exército "prometeu fazer uma lipoaspiração no organograma do governo. Em vez dos atuais 29 ministérios, sua administração teria apenas 15 pastas. O improviso começa a assustar", diz o articulista. Diante de tal circunstância, eleitora de Bolsonaro — mãe de servidor do MT — faz caloroso apelo ao novo presidente. Leia ao final da matéria.

Leia também: Fechamento de ministério pode levar a depressão e até a suicídios, alerta psicólogo!

Medo de demissão e congelamento de salários

A notícia de que ministérios serão fechados trazem vários tipos de preocupações básicas aos funcionários dos setores que podem ser atingidos. O primeiro é a insegurança e incerteza que tal política cria. Para onde vão os funcionários dos órgãos fechados? Que ministérios ou outros órgãos vão incorporar esses servidores? Outro sério problema é medo do congelamento de salários e até de demissão. Se órgãos serão fechados, como valorizar seus servidores com futuros reajustes salariais? Servidor de ministério fechado pode ou não ser demitido?


Especialista explica

Segundo o advogado Célio S Santos, especialista em Direito Administrativo, o fechamento de ministérios não implica — a priori — em demissão sumária de ninguém. "Quem for concursado ou tiver adquirido estabilidade terá seu emprego mantido", esclarece.  Contudo, alerta o estudioso: (Ver após o anúncio).

"O novo governo pode instituir Planos de Demissão Voluntária nos órgãos afetados e forçar muitos servidores a pedir as contas, em troca de uma indenização no geral pequena. Isto é legal e consta inclusive em projetos em andamento do governo federal". Quanto a congelamento salarial, Santos diz que caso um órgão seja fechado é óbvio que o governo tem mais argumentos para congelar remunerações de seus servidores.


Apelo caloroso de eleitora do capitão e mãe de servidor do MT:

  • Presidente Bolsonaro, reflua dessa ideia de fechar ministérios, em particular o do Trabalho. Sou economista e sei da importância dessa pasta não apenas para seus servidores. O MT é crucial para que se garanta o respeito ao trabalhador brasileiro, algo que, creio, é sagrado para o senhor também. É possível fazer enxugamento da máquina sem adotar medida tão extrema assim. Votei no senhor. O senhor é o nosso capitão. A vida de meu filho e de milhões de brasileiros estão sob o seu comando. Que  Deus o ilumine". Rita M S Morais.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre economia: