REFORMAS | Temer diz que arrochar o povo é bom para o País! Leia e compartilhe...

05/05/2018 15:36

Brasília - Presidente Michel Temer durante entrevista ao programa A Voz do Brasil (Marcos Corrêa/PR)
Brasília - Presidente Michel Temer durante entrevista ao programa A Voz do Brasil (Marcos Corrêa/PR)

DA REDAÇÃO | Em entrevista exclusiva publicada hoje (5) pela Agência Brasil, Michel Temer (MDB) dá um show de cinismo e canalhice ao elogiar as medidas que tem tomado contra o povo brasileiro. Cortes de verbas da educação e saúde, mutilação do ensino médio, fim da CLT e da aposentadoria dos trabalhadores... Para o golpista, tudo isso é bom para o Brasil.


Ver trechos:

Cortes de verbas da saúde e educação (PEC da Morte): "Se relacionarmos a reforma do teto dos gastos foi parte de uma fórmula trivial. Veja que ao fazermos o teto dos gastos foi uma coisa revolucionária. Ninguém ousou fazer isso ao longo do tempo. Ao fazê-lo, nós fizemos de uma maneira inteiramente responsável. Ou seja, não tomamos uma medida populista." (Continua, após o anúncio).

Fim da CLT, chamada por Temer na entrevista de "modernização trabalhista: "A grande modernização trabalhista veio por meio desta reforma que todos consideraram ousada, mas que está sendo muito bem recebida." De fato, essa reforma foi muito bem recebida... Pelos grandes patrões que, através das enormes brechas da nova legislação, podem burlar até direitos sagrados, como o 13º salário.

Reforma do ensino médio, que exclui várias disciplinas e praticamente reduz tudo a somete Português e Matemática: "No nosso governo, nós fizemos a reforma do ensino médio. Vocês sabem dos protestos que houve. Nas reuniões que fazíamos com os secretários de Educação dos estados, ela foi aprovada por mais de 95% do setor educacional. Portanto, você vê que foi uma reforma da maior significação. Uma grande reforma." (Continua, após o anúncio).

Fim da aposentadoria dos trabalhadores, chamada de reforma da previdência: "A reforma da Previdência é fundamental. Você tem um déficit hoje de cerca de R$ 180 bilhões [o Temer não diz que tal déficit é provocado principalmente pela sonegação de impostos por parte de grandes empresários], e você não consegue segurar por mais um ou dois anos um déficit desse tamanho na Previdência Social."

Leia também: