TST: greve para baixar preços dos combustíveis prejudica o povo; multa nos petroleiros é R$ 500 mil/dia! Leia e compartilhe...

29/05/2018

Temer e AGU querem multa diária mais alta de R$ 10 milhões nos petroleiros, caso eles insistam em fazer greve para baixar os preços dos combustíveis e "prejudicar" os brasileiros 

DA REDAÇÃO | Parece até fake news. Mas não é. A ministra Maria de Assis Calsing — do Tribunal Superior do Trabalho (TST) — atendeu pedido de Michel Temer (PMDB) e AGU e proibiu a greve dos petroleiros anunciada para iniciar a partir de 0h de quarta-feira (30). A pauta dos petroleiros não é para aumentar seus próprios salários, e sim para baixar os preços do diesel, gasolina e gás de cozinha, bem como pela demissão de Pedro Parente, que mudou a política de preços da Petrobrás, o que gerou muita carestia para a população.


Baixar preços prejudica o povo

O argumento "jurídico" usado para proibir a paralisação diz que a pauta dos petroleiros é ilegal e prejudicial ao povo. Isto mesmo: para o TST e o governo, a população precisa continuar a pagar combustível caro para não se prejudicar. (Continua, após o anúncio).

Multa de 10 milhões por dia

Temer e AGU pediram ao TST que aplique multa diária de R$ 10 milhões nos petroleiros, caso eles insistam em fazer greve para baixar os preços dos combustíveis e prejudicar os brasileiros. 

A ministra Calsing foi mais boazinha e estipulou a multa em apenas R$ 500 mil por dia. Os petroleiros declaram que não vão obedecer essa decisão absurda e, mesmo com ameaça de multa, vão manter a greve anunciada de 72 horas.

Com informações de: Folha de S.Paulo

MAIS RECENTES:

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...