TST: greve para baixar preços dos combustíveis prejudica o povo; multa nos petroleiros é R$ 500 mil/dia! Leia e compartilhe...

29/05/2018 23:12

Temer e AGU querem multa diária mais alta de R$ 10 milhões nos petroleiros, caso eles insistam em fazer greve para baixar os preços dos combustíveis e "prejudicar" os brasileiros 

DA REDAÇÃO | Parece até fake news. Mas não é. A ministra Maria de Assis Calsing — do Tribunal Superior do Trabalho (TST) — atendeu pedido de Michel Temer (PMDB) e AGU e proibiu a greve dos petroleiros anunciada para iniciar a partir de 0h de quarta-feira (30). A pauta dos petroleiros não é para aumentar seus próprios salários, e sim para baixar os preços do diesel, gasolina e gás de cozinha, bem como pela demissão de Pedro Parente, que mudou a política de preços da Petrobrás, o que gerou muita carestia para a população.


Baixar preços prejudica o povo

O argumento "jurídico" usado para proibir a paralisação diz que a pauta dos petroleiros é ilegal e prejudicial ao povo. Isto mesmo: para o TST e o governo, a população precisa continuar a pagar combustível caro para não se prejudicar. (Continua, após o anúncio).

Multa de 10 milhões por dia

Temer e AGU pediram ao TST que aplique multa diária de R$ 10 milhões nos petroleiros, caso eles insistam em fazer greve para baixar os preços dos combustíveis e prejudicar os brasileiros. 

A ministra Calsing foi mais boazinha e estipulou a multa em apenas R$ 500 mil por dia. Os petroleiros declaram que não vão obedecer essa decisão absurda e, mesmo com ameaça de multa, vão manter a greve anunciada de 72 horas.

Com informações de: Folha de S.Paulo

MAIS RECENTES: