Servidores aumentam pressão para barrar Reforma Administrativa

10/09/2021 11:38

Para além das ruas, nos dias 11, 13 e 14 de setembro, entidades de servidores chamam a população para se unir em tuitaços cobrando dos/as parlamentares posição contrária à Reforma Administrativa.

Publicidade

Reforma acaba o serviço público. Imagem: aplicativo Canva.
Reforma acaba o serviço público. Imagem: aplicativo Canva.

Economia | Chegou a hora de pressionar, mais do que nunca, deputados e deputadas federais contra a PEC 32. Para além das ruas, nos dias 11, 13 e 14 de setembro, entidades de servidores cutistas chamam a população para se unir em tuitaços cobrando dos/as parlamentares posição contrária à Reforma Administrativa.

No dia 11, a pressão ocorrerá por meio da hashtag #VotouPEC32NãoVolta, a partir das 9h. Já no dia 14 haverá o Dia Nacional de Luta com atos, manifestações, audiências públicas, paralisações, marchas, passeatas, mobilizando o serviço público, dialogando com a população, para fazer crescer o movimento que vai barrar esse ataque ao povo brasileiro. Continua, após o anúncio.

Organização

Entre as entidades que estão à frente das mobilizações estão a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam), Federação Nacional dos Servidores e Empregados Públicos Estaduais e do Distrito Federal (Fenasepe), Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) e Confederação Nacional dos Trabalhadores da Seguridade Social (CNTSS).

O quê - Tuitaço #VotouPEC32NãoVolta
Quando - 11/09, às 9h
Como - Sugestões de tuites: https://bit.ly/tuitaco_contrapec32_setembro

Cards dos deputados: https://bit.ly/cards_deputados
Cards temáticos em formato Twitter: https://bit.ly/cards_twitter
Cards temáticos em formato Instagram: https://bit.ly/cards_instagram

Ações dos dias 13 e 14 serão divulgadas posteriormente. Continua, após o anúncio.

Três motivos para o servidor se mobilizar contra a Pec 32:

  1. Ao contrário do que o governo e a grande mídia dizem, reforma acaba a estabilidade do servidor, pois introduz novas formas de demissão para o funcionário hoje estável.
  2. Reforma veda direitos adquiridos e congela carreiras e salários dos atuais  e futuros servidores. Novos funcionários, na verdade, entrarão sem direito nenhum.
  3. Projeto significa na prática a privatização e terceirização do setor público brasileiro.

Com informações de: CNTE

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Facebook, para receber atualizações sobre este tema.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

PIX

CPF 22629149315 . João Rosa Paes Landim Neto

Mais recentes sobre economia