Urgente | Governo quer agora sigilo para acabar aposentadoria dos trabalhadores! Leia e compartilhe...

13/02/2019 07:03

Governo já percebeu que não será fácil convencer os trabalhadores a aceitar a perda do direito de se aposentar. Foto: Agência Brasil.
Governo já percebeu que não será fácil convencer os trabalhadores a aceitar a perda do direito de se aposentar. Foto: Agência Brasil.

Equipe econômica quer que apenas o presidente Bolsonaro saiba dos pontos mais duros da reforma

Economia | Numa guerra, o fator surpresa sempre foi muito importante para quem venceu. Pegar um inimigo desprevenido é de fato melhor para derrotá-lo. Atento a isso, o governo Bolsonaro quer agora usar a tática da surpresa para tirar a aposentadoria dos trabalhadores. É o que admite Paulo Guedes — o super ministro da equipe econômica do capitão.

Segundo matéria de hoje (13) da Folha de S.Paulo: "Guedes esperava trabalhar apenas com Bolsonaro para negociar os pontos mais difíceis [da reforma]. Na visão dele, quanto mais integrantes tiverem acesso à proposta, mais difícil será levar ao Congresso uma reforma mais dura." Continua, após o anúncio.

O super ministro, na verdade, faz alusão a sua proposta de reforma da previdência vazada dia 4 deste mês no site do Estadão, onde propostas duras, aliás, duríssimas, chocaram a imensa maioria do povo. Repulsa maior se deu em relação à idade mínima de 65 anos para homens e mulheres se aposentarem, e tempo mínimo de 40 anos de contribuição para quiser benefício integral.

Outras propostas duríssimas também expostas pelo Estadão dizem respeito ao fim da aposentadoria especial dos professores e benefício menor que um salário mínimo para idosos de baixa renda. A gritaria também foi geral em relação a isso.

Diante da dificuldade em acabar a aposentadoria de quem produz as riquezas do país, a equipe econômica anuncia agora que vai trabalhar em sigilo até que a proposta esteja pronta para ser levada ao Congresso Nacional. O problema — para o governo — é que já vazou. 

Leia também:

Dinheiro | Pelas regras ultra rigorosas que o governo Bolsonaro quer impor a quem quiser se aposentar, muitos conquistarão direito ao benefício somente quando já estiverem mortos. Não é exagero. É conclusão óbvia que se tira da imposição de uma idade mínima (65 anos) que maioria não alcançará, somada a tempo mínimo de contribuição (40 anos) quase...