Estados e capitais recebem Fundeb com alta de recursos

07/03/2022

Dados oficiais estão disponibilizados no site do Banco do Brasil. Variação para mais em janeiro/fevereiro chega até a quase 50%. Números desmentem discursos de prefeitos e governadores sobre suposta falta de dinheiro para cumprir o reajuste de 33,23% do magistério. 

Crescimento de verbas desafoga estados, DF e municípios. Imagem: Canva.
Crescimento de verbas desafoga estados, DF e municípios. Imagem: Canva.

Educação | Dados oficiais no site do Banco do Brasil mostram que prefeitos das capitais e governadores receberam repasses do Fundeb com boa elevação de recursos nos dois primeiros meses deste ano de 2022. Capital Palmas (TO), por exemplo, teve crescimento de 48% em janeiro/fevereiro, em comparação com mesmo período de 2021. No Estado do Bahia, por sua vez, alta foi de 31%. Tabelas com todas as capitais e estados mostram que é possível cumprir o reajuste de 33,23% para os professores. Confira, após o anúncio.

Leia também: 

Tabela com Fundeb das capitais

Após o anúncio, confira a tabela com o Fundeb dos estados

Tabela com Fundeb dos estados

O Distrito Federal recebeu R$ 357.736.027,80 em jan/fev de 2021 e R$ 365.493.906,36 em jan/fev 2022. Variação: + 3%. Fonte: Banco do Brasil.
O Distrito Federal recebeu R$ 357.736.027,80 em jan/fev de 2021 e R$ 365.493.906,36 em jan/fev 2022. Variação: + 3%. Fonte: Banco do Brasil.

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite também para deixar uma pequena doação ao nosso site.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org - João R P Landim Nt 

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.