Dia 6 | STF decidirá sobre redução salarial na União, estados e municípios! Acesse...

04/06/2019

Mais arrocho e insegurança para os servidores

ECONOMIA / Dia 6 deste mês de maio (quinta-feira), o Supremo Tribunal Federal — STF — decidirá se a União, estados e municípios podem promover redução nos salários dos seus servidores. Medida drástica tem apoio e articulação do governo Bolsonaro.

Desculpas

Medida drástica — defendida e articulada pelo governo Bolsonaro — serviria para "equilibrar" as contas públicas em tempos de "crise", como ora o presidente, prefeitos e governadores alardeiam que estamos. Dados da Advocacia Geral da União (AGU) indicam que mais de R$ 80 bilhões serão economizados se os gestores cortarem os salários do funcionalismo. Continua, após o anúncio.

Articulação

Segundo site do jornal O Dia,  governo Bolsonaro vem costurando o apoio da maioria dos ministros ao corte salarial de funcionários públicos. "Governistas inclusive acreditam que o aval do STF já está encaminhado."

Origem

A redução nos salários dos servidores públicos está prevista na Lei de Responsabilidade FiscalLRF — relatada pela então deputada emedebista Rita Camata e sancionada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB

Em 2001, PT, PCdoB e PSB entraram com a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 2.338 para barrar esse dispositivo prejudicial ao funcionalismo. É isto que o STF julgará no próximo dia 6. Caso prevaleça a articulação de Bolsonaro e o Supremo julgue pertinente a redução nos salários dos servidores, estes terão também suas jornadas de trabalho diminuídas.

Curta nossa página!

Publicidade

Postagens mais recentes:

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.