Desesperado, tucano Aloysio Nunes deixa escapar no Estadão que está com medo de ser punido por corrupção! Saiba mais...

11/03/2017
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Da Redação | O desespero ronda o ninho dos tucanos. Além de Aécio Neves, desmoralizado e atrás nas pesquisas eleitorais até de Jair Bolsonaro, outro que se diz 'apreensivo' e com medo de ser punido ou denunciado em mais casos de corrupção é Aloysio Nunes, dublê de ministro das Relações Exteriores.

Em matéria de hoje (11) do Estadão, sobre "a lista a ser enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal, com base nas delações de 78 executivos e ex-executivos da Odebrecht, Aloysio admitiu até mesmo que haja outras menções envolvendo o seu nome". "Querem entregar 'carne nova' e muitas vezes 'inventam'", disse ao jornalão.

Segundo ainda o jornalão:

"Embora tenha assegurado não sentir 'tensão pré-lista', Aloysio admitiu 'sofrimento' ao esperar a conclusão de um inquérito, no qual foi acusado pelo empreiteiro Ricardo Pessoa, da OAS, de ter recebido R$ 200 mil em dinheiro de caixa 2 para sua campanha ao Senado, em 2010."

"Mais do que constrangimento, isso para mim é razão de sofrimento", declarou [Aloysio].

Título do artigo no Estadão: 'Governo não vai acabar após lista do Janot'

Leia também:

Destaque para nomeação de Hitler como chanceler da Alemanha; nascimento de Lewis Carrol, autor de "Alice no País das Maravilhas; nascimento de Mozart; Libertação de Auschwitz, na Polônia; tragédia na boate Kiss e término oficial da Guerra do Vietnam.
Há recursos carimbados do Fundeb — em alta — desde 2021. Complemento da União sobe de 15% para 17%, e veto garante reposição de dinheiro perdido em 2022 por conta da redução na alíquota de ICMS. E ainda tem o Art. 4º da Lei 11.738/2008 a favor dos 14,95%.