Urgente | Novo projeto obriga professores a atuarem também como paramédicos nas escolas públicas e privadas de todo o Brasil! Saiba mais e compartilhe...

24/03/2018 01:27

Dep. Ricardo Izar (PP-SP) Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Dep. Ricardo Izar (PP-SP) Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Deputado justifica medida sob a alegação de que muitas crianças chegam até mesmo a morrer nas escolas públicas e privadas do País, vítimas de engasgos e outros acidentes. Projeto não prevê qualquer incentivo financeiro extra para os profissionais do magistério em virtude da nova (e delicadíssima) tarefa e responsabilidade que agora terão também que assumir nos estabelecimentos de ensino

DA REDAÇÃO | Segundo o Portal da Câmara dos Deputados, foi aprovado ontem (23) um projeto que obriga as escolas públicas e privadas de educação infantil e básica de todo o País a capacitarem professores e funcionários em noções básicas de primeiros socorros. A obrigatoriedade valerá também para os estabelecimentos de recreação infantil (PL 9468/18). Vote na enquete ao final da matéria sobre este tema).

Na prática, os educadores terão agora que atuar também como paramédicos (socorristas) ou auxiliares de enfermagem nos estabelecimentos de ensino. O texto original é dos deputados Ricardo Izar (PP-SP) e Pollyana Gama (PPS-SP). Professores e funcionários de escolas discordam da medida, conforme se verá mais abaixo.


Justificativa

O deputado Ricardo Izar, um dos autores do projeto, diz no Portal da Câmara que: 

"A legislação atual não prevê nada, não tem legislação nenhuma sobre o tema e é um projeto importante porque 810 crianças morreram ano passado engasgados em escolas ou estabelecimentos recreativos ligados à educação. É um dado que me surpreendeu pelo número de mortes que pode ser evitada com esses primeiros socorros, que são noções básicas." (Grifos nossos).


Educadores discordam e dizem que governos devem contratar pessoal habilitado em Saúde para tal tarefa

Tão logo tomaram conhecimento da aprovação do projeto, professores e funcionários de escolas discordaram de tal medida. "É um absurdo! Nós já temos atividades e responsabilidades demais. Os governos devem é contratar gente habilitada em Saúde para isso, para criar inclusive mais possibilidades de emprego nesse setor", diz a professora piauiense Sônia Lima.

Outro que se posicionou contra foi o técnico em informática Plínio Silva, que atua na rede estadual de educação do Ceará: "Como esses deputados criam uma lei para nos obrigar a atuar numa área para a qual não fizemos concurso? O máximo que poderiam fazer era criar algo facultativo, nunca obrigatório", pondera. O que diz o projeto sobre remuneração extra para os educadores? (Veja após o anúncio e vote na enquete).

Sem remuneração extra

O projeto ainda vai para aprovação no Senado. A matéria do Portal da Câmara dos Deputados não informa se a medida prevê algum incentivo financeiro extra para os profissionais do magistério em virtude da nova (e delicadíssima) tarefa que também terão que executar nas escolas.


Vote na enquete! 

Compartilhe com seus amigos e curta nossa página mais abaixo no Facebook, para receber atualizações sobre este e outras temas! 

MAIS RECENTES SOBRE EDUCAÇÃO:

DA REDAÇÃO | Segundo postagem de hoje (16) da Folha de S.Paulo: "A inclusão de filosofia e sociologia como disciplinas obrigatórias no ensino médio em 2009 prejudicou a aprendizagem de matemática dos jovens brasileiros, principalmente os de baixa renda. A [inacreditável] conclusão é dos pesquisadores Thais Waideman Niquito e Adolfo Sachsida, em...

DA REDAÇÃO | Foi aprovado na última sexta-feira (23) na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei (PL 9.468/18). Medida obriga escolas públicas e privadas de todo o País a capacitarem seus professores e demais funcionários em noções básicas de primeiros socorros, ou seja, no atendimento de emergências e urgências médicas. (Dê sua opinião sobre este...