Mesmo com pandemia, Câmara agenda reunião sobre volta das aulas presenciais

16/12/2020 14:14

Meta é retomar atividades da Educação Básica em 2021, sobretudo no setor público de estados e municípios. Pelas redes sociais, maioria dos educadores rejeita retorno antes de vacina contra Covid-19.

Publicidade

Escolas públicas de estados e municípios estão mesmo preparadas para receber profissionais do magistério e alunos? Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Escolas públicas de estados e municípios estão mesmo preparadas para receber profissionais do magistério e alunos? Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Educação | Está agendada para amanhã uma reunião técnica na Câmara dos Deputados para tratar do retorno às aulas presenciais da Educação Básica em 2021, em particular nas redes públicas de estados e municípios. Debate será às 9h30 e ocorrerá por videoconferência, na Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19.

Várias autoridades foram convidadas para participar, como IZABEL LIMA PESSOA, Secretária de Educação Básica do Ministério da Educação, MARIA CECÍLIA MOTTA, Presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação - CONSED, e MARCO AURÉLIO PALAZZI SÁFADI, Presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria - SBP. Continua, após o anúncio.

Maioria contra

Maioria dos profissionais do magistério não vê com bons olhos um retorno às escolas antes que se tenha no País uma vacina segura contra a Covid-19. Dê também sua opinião na enquete abaixo. 

E o receio de muitos não é sem razão. A pandemia continua em alta. Todo dia são milhares de novos casos e centenas de óbitos em todo o território nacional. Já são quase 183 mil mortes e cerca de 7 milhões de infectados. "Voltar às aulas como?", indaga pelo Facebook a professora carioca Sônia N Paixão.

Bolsonaro trabalha para que não tenha volta às escolas

Apesar de nunca sequer ter concordado com o fechamento das escolas, mesmo no auge da pandemia, o presidente Bolsonaro faz de tudo para que elas permaneçam fechadas. É abertamente contra uma vacinação em massa no País, dá declarações diárias incentivando o povo a não se vacinar e, no caso específico do magistério, adotou outra medida que dificulta ainda mais o retorno às aulas presenciais. Continua, após o anúncio.

Reajuste ZERO no piso do magistério em 2021

Através da portaria interministerial 03, publicada por Bolsonaro em 25 de novembro, o reajuste do piso do magistério para 2021, antes previsto para ser de 5,9%, caiu para zero. Isto ocorreu porque o valor do custo-aluno foi rebaixado de R$ 3.643,19 para R$ 3.349,56. Com isso, a correção salarial sumiu pelo ralo. 

Curta abaixo nossa página no Facebook para receber atualizações sobre a reunião na Câmara que tratará do retorno às aulas presenciais.

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...