Crise? Bolsonaro apoia e Maia libera R$ 17 milhões a deputados! Leia e compartilhe...

05/01/2019
Bolsonaro cortou R$ 8,00 do salário mínimo. Para os deputados, porém, um presente antecipado / Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Bolsonaro cortou R$ 8,00 do salário mínimo. Para os deputados, porém, um presente antecipado / Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

"Além do auxílio-mudança, deputados receberam em dezembro a segunda parcela do 13.º, o que, somado ao salário, levou a remuneração do mês a R$ 84,2 mil" 

Política | Jair Bolsonaro e seu partido — o PSL — darão apoio à reeleição de Rodrigo Maia à presidência da Câmara. Motivado pelo força do capitão e já em campanha, Maia liberou R$ 17 milhões a deputados, por conta de antecipação do auxílio-mudança dos mesmos.


Leia também:

Prêmio antecipado aos parlamentares é uma afronta à maioria do povo brasileiro, sobretudo depois que Bolsonaro passou a tesoura em R$ 8,00 do salário mínimo e ameaçou no SBT cortar "excesso" de direitos dos trabalhadores. Crise, como se vê, só para o povo. Continua, após anúncio.

Segundo matéria do Estadão (5), "além do auxílio-mudança, deputados receberam em dezembro a segunda parcela do 13.º, o que, somado ao salário, levou a remuneração do mês a R$ 84,2 mil." Uma verdadeira farra com o dinheiro público.


Mamadeira de piroca

Até bem pouco tempo, inclusive durante a campanha presidencial de 2018, Rodrigo Maria era visto como um inimigo pela família Bolsonaro e PSL, que o chamavam inclusive de "corrupto e aliado de comunistas." Bolsominions iam ao orgasmo com tal discurso. Passaram-se as eleições e Maia e os Bolsonaro se uniram. Aos bolsominions restou se contentar com uma mamadeira de piroca.

Mais recentes sobre política:

Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...