Ministro da Educação de Bolsonaro vira réu por fugir para os EUA sem pagar dívida de condomínio

10/10/2021

Investigado em dois inquéritos pelo STF, Abraham Weintraub disse que saiu do Brasil porque temia ser preso. Deixou para trás débito de mais de R$ 20 mil junto ao condomínio Morada das Torres do Sol. Seu irmão, Arthur Weintraub, também está envolvido no mesmo calote. 

Abraham Weintraub, o ministro da Educação que não domina regras básicas de português se mete em mais um rolo. O capitão Bolsonaro só se mete com "gente de bem". Foto: Agência Brasil.
Abraham Weintraub, o ministro da Educação que não domina regras básicas de português se mete em mais um rolo. O capitão Bolsonaro só se mete com "gente de bem". Foto: Agência Brasil.

Educação | Ancelmo Gois, jornalista de O Globo, destaca em sua coluna deste domingo (10) que Abraham Weintraub, ex-ministro da Educação de Jair Bolsonaro, se meteu em um novo rolo, junto com o irmão Arthur, que também ganhava dinheiro no governo. 

A dupla, ao fugir para os EUA por medo de inquéritos que Abraham enfrentava junto ao STF, saiu sem pagar dívida de R$ 20.348,85 para o condomínio Morada das Torres do Sol, onde os dois têm um imóvel.

Uma coisa é um baixo assalariado ou mesmo um pessoa de classe média deixar de quitar uma dívida dessas, afinal, as coisas estão muito caras no Brasil. Outra coisa bem diferente é um ex-ministro e seu irmão, que mamaram muito nas tetas do governo, saírem do Brasil como caloteiros.

O capitão Bolsonaro só se mete mesmo com "gente de bem".

Compartilhe e curta abaixo nossa página no Twitter e Facebook, para receber atualizações sobre este tema. E aproveite para deixar também uma contribuição para o nosso site.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Chave para Pix

E-mail: pix@deverdeclasse.org - João R P Landim Nt

Siga-nos!

Mais recentes sobre educação...

Nota Técnica da CNTE esclarece que rateio de sobras é algo já pacificado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), sendo necessário apenas que legislativos de estados e municípios digam através de leis próprias como a divisão de recursos previstos e não gastos deve ser feita. Professores membros de conselhos do Fundeb apontam o caminho a seguir para...