Hoje na História | 19/set: renúncia forçada de Peron e 5 mil mortos no México! Clique...

06/06/2019

Túnel do Tempo | Em 1955, o ex-presidente da Argentina Juan Domingos Perón renuncia, após sofrer pressões da Marinha e Exército do seu país. E em 1985, cerca de 5.000 pessoas morrem e dezenas de milhares ficam feridas ou desabrigadas no mais violento abalo sísmico da história do México, que atingiu 7,8 graus na escala Richter.

Leia tambémInternautas dizem que terremoto no Piauí e Maranhão significa que Jesus está voltando!

Mais:

  • 1999. O presidente Fernando Henrique Cardoso assina o decreto de regulamentação da Lei de Crimes Ambientais. 
  • 1981. Barco naufraga na Amazônia, em frente ao porto da cidade paraense de Óbidos, e mata 300 dos 500 pessoas a bordo. 
  • 1989. O furacão Hugo, o mais violento da década, arrasa a capital e a região oriental de Porto Rico, mata 25 pessoas e deixa 50.000 desabrigados.

Fonte: Barsa Saber

Curta nossa página e receba atualizações!

Mais recentes do site:

Educadores repudiam descontos de salários e querem que o Sinte-Pi promova ação prática e urgente para que a governadora Regina Sousa (PT) reponha imediatamente o dinheiro cortado dos professores. Docentes exigem também que lotação original seja mantida.
No capitalismo, guerras são negócios, fome é negócio, crianças e idosos são negócios, miséria é negócio, "beleza" e "feiúra" são negócios, violência física e moral são negócios, o corpo é negócio, pessoas são negócio. Tudo é negócio...
"A lei do piso se transformará em mais uma norma sem sentido real". "Decisão se estenderá a todos os entes — estaduais e municipais." Ministro "Xandão" chegou a conclusão inusitada após embarcar em "informações e tese distorcidas prestadas pelo Estado do Pará". Avaliação consta em nota assinada pelo experiente advogado Walmir Brelaz, do Sintepp/Pa....
Em apenas um caso de malversação escabrosa de dinheiro da educação pública, "a Controladoria-Geral da União pescou um edital para a compra de dez milhões de mesas e cadeiras escolares com um sobrepreço que poderia chegar a R$ 1,59 bilhão. O total da fatura chegaria a R$ 6,3 bilhões", revela o experiente jornalista Elio Gaspari, em matéria na Folha...