Inferno | "Moro é hoje uma fritura ambulante", diz um dos maiores colunistas do país! Acesse...

01/09/2019

Política | "O inferno de Moro, uma tragédia brasileira". Este é o título do artigo que o colunista Elio Gaspari — um dos maiores do país para a burguesia — publicou hoje (1) no Globo. No texto, Gaspari disse que Moro fez uma escolha arriscada ao trocar o cargo de juiz pelo de ministro.


Bife

Diz o articulista: "Quem já fritou um bife sabe que é preciso virar a carne, para não queimá-la. Moro é hoje uma fritura ambulante. Fritam-no (ou frita-se) no Planalto, no Congresso e no Judiciário." A fritura ocorre sobretudo por parte de Bolsonaro, deixa claro GaspariContinua, após o anúncio.

"Faço-porque-posso"

Elio Gaspari diz também em seu artigo que Moro cometeu uma série de abusos na Lava Jato, sob o argumento do "faço-porque-posso". O ex-juiz escorava-se em sua larga popularidade de então.


Mudança climática

"O doutor não percebeu a mudança climática a que se submeteu trocando Curitiba por Brasília. Era um juiz que encarnava o combate à roubalheira e, junto com os procuradores, era também a melhor fonte de notícias",  diz o articulista. Continua, após ao anúncio.

Conta

Gaspari conclui:

"[Mas] para Moro, a conta do "faço-porque-posso" veio na semana passada, com a decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal."

O articulista se refere à anulação de uma sentença que Moro dera condenando Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil

Postagens mais recentes:

Magistério de estados e municípios deve pressionar gestores sobre recursos, pois aprovação de lei sobre como proceder ao rateio encerra dia 31 deste mês, vez que dinheiro que sobrar deve ser devolvido em forma de abono ao magistério ainda neste ano. Vereadores e deputados estaduais devem ser acionados o quanto antes. O recesso parlamentar se...
Sobras de recursos devem ser pagas em forma de abono até o dia 31 deste mês. Devido ao aumento do percentual mínimo que deve ser gasto durante o ano com o magistério e ausência de reajuste salarial, estados, DF e municípios devem devolver dinheiro não utilizado aos educadores. Preencha os campos e veja o resultado em seguida.
Quem tem carga horária menor receberá menos, R$ 12.400. Benefícios desse tipo estão sendo anunciados e pagos em todo o Brasil e são obrigatórios, caso um prefeito ou governador não tenha gasto neste ano o percentual mínimo de 70% do Fundeb com a folha do magistério. Educadores de todas as localidades têm de cobrar do Conselho desse fundo e...
Prefeitos e governadores, principalmente os primeiros, anunciam ações radicalizadas neste mês de dezembro para tentar derrubar o reajuste de 31,3% previsto para o magistério. Em sentido contrário, isto é, em defesa desse aumento, categoria deve também partir para a ação.