Receitas do Fundeb creceram e estados e municípios podem pagar piso dos professores!

20/01/2020 15:12

Educação / Arrecadação dos últimos 30 dias mostra que prefeitos e governadores podem aplicar a correção de 12,84% já a partir deste mês de janeiro.

COMPARTILHE!

Publicidade

O reajuste de 12,84% no piso do magistério só foi possível porque as receitas do Fundeb cresceram. A Lei do Piso preconiza que este percentual, em função da alta nesse fundo por aluno, incida sobre o piso dos professores, conforme explica a direção do Sinte-Pi, entidade filiada à Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE-PI).

Dados do Banco do  Brasil mostram quanto cada Estado movimentou apenas nos últimos 30 dias, ou seja, 20 de dezembro de 2019 a 20 de janeiro deste ano. Movimentação milionária é a prova de que estados e municípios podem pagar os 12,84% já a partir deste mês de janeiro. Veja, após o anúncio.

Banco do Brasil - Demonstrativo de Distribuição da Arrecadação do FUNDEB - Período: 20/12/2019 a 20/01/2020 (R$)

AC

68.271.356,39 

AL

87.297.833,50 

AP

57.639.193,65 

AM

 212.100.886,05

BA

318.332.936,97

CE

151.108.335,92

DF

78.689.156,46 

ES

76.640.314,28

GO

194.726.207,97

MA

153.587.359,66 

MT

191.312.070,00 

MS

95.191.709,77

MG

807.327.034,19

PA

222.423.783,43

PB

97.514.867,47

PR

360.431.754,76

PE

252.244.378,07

PI

102.734.461,04 

RO

80.628.317,17

RR

42.302.360,84 

RS

436.363.310,74  

RN

79.314.676,69 

RJ

300.149.021,11 

SC

237.737.588,36

SP

1.743.001.724,73 

SE

 68.606.104,27

TO

80.642.964,75

Mais recursos

Postagem publicada no BLOG DO POVO diz que:

"Segundo o site da Agência Brasil (31/12/2019), estados, municípios e Distrito Federal receberam no último dia do ano passado R$ 11,73 bilhões. Verba extra é oriunda dos "repasses do bônus de assinatura do leilão do excedente de petróleo da cessão onerosa", realizado em novembro de 2019." Continua, após o anúncio.

Diz ainda o site:

"Embora o governo federal tenha especificado que os recursos da cessão onerosa devem ser utilizados para investimentos e para reduzir o déficit previdenciário, fica óbvio que os cofres públicos serão aliviados, pois não será necessário usar, por exemplo, o dinheiro do piso dos professores para pagar débitos da previdência ou outros fins."

Complementação da União

O BLOG DO POVO informa também:

Além dos R$ 11,73 bilhões extras, prefeitos e governadores tiveram outros incrementos de recursos em suas receitas. Em matéria publicada em 27/12/2019 no site da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Fábio Henrique Ibiapina, coordenador-geral do Fundeb, disse que só da União esse Fundo terá complementação de R$ 800 milhões a mais em 2020. Ibiapina afirmou ainda que houve também acréscimo de ICMS.

Abaixo, veja mais detalhes de como o reajuste do piso é feito

De acordo com o Parágrafo Único do Artigo 5º da Lei Federal 11.738/2018, a atualização do piso do magistério "será calculada utilizando-se o mesmo percentual de crescimento do valor anual mínimo por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano..."

Com base nisso, o Dr. José Professor Pacheco, advogado, ensina aqui que os técnicos do FNDE* vêm utilizando para a definição do reajuste anual do piso a variação do custo aluno estimado nos dois anos anteriores. Assim, temos a equação:

  • ÚLTIMO CUSTO ALUNO ESTIMADO PARA 2018: R$ 3.048,73, (Portaria Interministerial MEC/MF nº 6, de 26.12.2018);
  • ÚLTIMO CUSTO ALUNO ESTIMADO PARA 2019: R$ 3.440,29, (Portaria Interministerial MEC/ME nº 3, de 23.12.2019);
  • CRESCIMENTO de 2018 para 2019: 12,84%.
  • ESTE índice de 12,84% é o percentual legal de reajuste que, OBRIGATORIAMENTE, deve ser aplicado a partir de primeiro de janeiro de 2020, o que fará com que o valor mínimo do magistério passe de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,15.

COMPARTILHE!

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...