Bolsonaro incentiva alunos a filmar professores! Mestres dizem que estresse na sala de aula vai piorar! Leia e compartilhe...

05/11/2018

Liberação de celulares em sala de aula vai piorar o clima de estresse no ambiente escolar e a aprendizagem dos próprios alunos, dizem professores e especialista

Educação | Em entrevista hoje (5) à TV Band, o presidente eleito Jair Bolsonaro defendeu que os professores sejam filmados por alunos em sala de aula. As filmagens servirão para os alunos denunciarem os mestres que, supostamente, fizerem 'doutrinação' no ambiente escolar, como por exemplo criticar eventuais erros do governo federal. O capitão do Exército disse que os mestres devem se orgulhar e não ficar preocupados com gravações feitas pelo alunado.  "Professor tem que se orgulhar e não ficar preocupado. Mau professor é o que se preocupa com isso aí" — disse. Dê sua opinião na enquete ao final da matéria.

Professores discordam

Pelas redes sociais, contudo, muitos professores se posicionam contra tal conselho dado aos alunos pelo futuro presidente e dizem que tal postura do alunado vai piorar o estresse da sala de aula e a aprendizagem dos próprios discentes. Pelo Facebook, Luiz N comentou: "É tanta dificuldade que temos pra manter os alunos sem celular em sala de aula ai vem um desses aí falar besteira." Paulo S também se manifestou: "Esse cara [Bolsonaro] é um louco! Que moral o professor vai ter para controlar o uso do celular se o presidente é o primeiro a incentivar a desrespeitar."


Especialista opina

Segundo a pedagoga Ana M Figueiredo, Especialista em Educação, é um gravíssimo erro estimular alunos a filmarem professores em sala de aula. "Quem conhece o ambiente escolar sabe o quanto o uso de aparelhos celulares por parte dos alunos dificulta o trabalho dos educadores. E agora, quando uma autoridade como o presidente da república incentiva tal prática, o ambiente da sala de aula só tende a piorar. É mais estresse para professores e demais profissionais das escolas", diz. 


Após o anúncio, dê sua opinião na enquete abaixo!

Leia também:

Professora diz que, mesmo com reajuste de 33,23%, não está fácil pagar gasolina a quase R$ 10,00 e gás de cozinha em torno de R$ 140,00. Educadora pede que o presidente faça alguma coisa para resolver o problema.
Dados da Secretaria do Tesouro Nacional e do Banco do Brasil mostram tendência de crescimento nas verbas do FPM e Fundeb, fenômeno que vem desde janeiro de 2021. Prefeitos e governadores podem perfeitamente, por exemplo, hornar reajustes salariais para o funcionalismo, em particular em relação ao índice de 33,23% do magistério.