TRAIÇÃO | PSTU propõe que PSOL expulse um de seus vereadores! Leia e compartilhe...

10/08/2017 22:32

Vereador Renato da Farmácia - PSOL - Foto: site PSTU
Vereador Renato da Farmácia - PSOL - Foto: site PSTU

"Pelo erro cometido e pelo histórico desse vereador o correto seria expulsá-lo. Essa mácula ao PSOL de Florianópolis e essa traição à classe trabalhadora são consequências das decisões eleitoreiras da última eleição."

DA REDAÇÃO | O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado — PSTU — postou em sua página uma Nota onde propõe que o Partido Socialismo e Liberdade — PSOL — expulse o vereador Renato da Farmácia, eleito por Florianópolis. O PSTU expõe em sua matéria a posição de Renato a favor de uma lei que transforma a Comcap em autarquia, o que pode levar à demissão de funcionários, privatização e prejuízos à maioria do povo da cidade. Um caso de traição de classe, portanto, como explicita o texto do PSTU logo a partir do seu título.

Leia trechos:

"Essa traição [do Renato da Farmácia] permitiu ao prefeito Gean Loureiro aprovar a lei e condenou os trabalhadores da empresa a uma situação terrível que pode levar a demissão de muitos deles, retirada de direitos, mais assédio moral e a privatização do serviço. Não só os trabalhadores da Comcap saíram perdendo, mas toda a população. Caso prospere a privatização do serviço, só quem puder pagar caro por ele vai ter direito."

"O PSTU já tinha alertado nacionalmente sobre as ações do PSOL que o estão levando ao vale tudo eleitoral. Em Florianópolis isso aconteceu em 2 momentos nas eleições municipais de 2016. Um dos erros foi se aliar aos partidos burgueses PV e REDE para conseguir mais votos, mas abandonando princípios socialistas."

"O outro erro foi aceitar o ingresso do Renato da Farmácia ao PSOL exclusivamente por ele ser um nome que atrairia muitos votos para aumentar o número de vereadores do partido. Mas conseguir mais votos a qualquer custo pode custar caro para a classe trabalhadora! Renato da Farmácia era do partido de direita, o PSD."


Punição

Segundo ainda a Nota do PSTU:

"O PSOL decidiu punir o vereador. Mas 60 dias de afastamento é muito pouco para quem ajudou a aprovar uma lei que vai afetar o resto da vida dos trabalhadores. Para piorar, Renato não fez qualquer autocrítica de sua posição que foi reiterada duas vezes na Câmara de Vereadores. Isso significa que em outras oportunidades poderá trair de novo. Pelo erro cometido e pelo histórico desse vereador o correto seria expulsá-lo. Essa mácula ao PSOL de Florianópolis e essa traição à classe trabalhadora são consequências das decisões eleitoreiras da última eleição."

Leia a Nota do PSTU na íntegra: 


A traição do Renato da Farmácia (PSOL). O vale tudo eleitoral não serve para os socialistas

LEIA TAMBÉM: