O capitalismo, os oito bilionários e o maior roubo legalizado do planeta

16/01/2017 14:42

Foto divulgação: Internet
Foto divulgação: Internet

Da Redação | Segundo amplamente divulgado pela mídia internacional, os oito homens mais ricos do mundo concentram o mesmo patrimônio de 3,6 bilhões de pessoas. Isto mesmo: menos de uma dezena concentra mais fortuna que a metade mais pobre da humanidade, que detém somente 0,25% da riqueza global líquida. 

Dado foi elaborado pela Oxfam, entidade que reúne diversas organizações não governamentais e consta no relatório "Uma economia humana para os 99%", que será divulgado nesta segunda (16), em Davos, na Suíça.

O que fizeram esses oito magnatas para acumular tanto dinheiro? Trabalharam muito? Ganharam prêmios bilionários? Assaltaram bancos à mão armada? São mais abençoados por Deus que os outros?  

Não, nada disso. Os oito bilionários acumularam tanta fortuna apenas porque se prevalecem das regras intrínsecas ao capitalismo, como o controle privado dos meios de produção e todas as leis que as protegem. Na prática, o capitalismo não passa de um grande e escandaloso roubo legalizado.

E a dinâmica nem é tão difícil de entender. Todo santo dia milhões de trabalhadores saem de suas casas para produzir em fábricas privadas desde uma simples colher até super computadores de última geração. No final da tarde vão embora e tudo o que produziram coletivamente é apropriado pelo patrão. 

Ao final de cada mês, o operário recebe uma gorjeta em troca de seu trabalho, chamada pelos economistas de salário. Esse salário nunca corresponde sequer, na maioria dos casos, nem a dois ou três dias de labuta do trabalhador. Ou seja, na maior parte do tempo o operário trabalha de graça para o patrão.

É esse excedente gratuito que gera os Bill Gates & Cia da vida. Aliás, da morte.

Leia também: