Na lama! Doria quer Aécio escorraçado definitivamente da direção do PSDB! Leia e compartilhe...

26/06/2017 21:12

Fotomontagem: Internet
Fotomontagem: Internet

POLÍTICA | A situação política do senador afastado Aécio Neves continua cada vez mais complicada. De um "quase eleito presidente" da república em 2014, Aécio virou um farrapo humano que sequer teve seu nome incluído na última pesquisa do Datafolha, onde Lula aparece como favorito em todos os cenários. Segundo matéria de hoje (26) da Folha de S.Paulo, o prefeito João Doria quer agora excluir definitivamente o "Mineirinho" da direção do PSDB. Aécio está como uma espécie de Rei Midas às avessas. Midas, segundo a mitologia grega, transformava em ouro tudo o que tocava. Aécio, transforma em lama, por isso querem escorraçá-lo do próprio partido do qual até bem pouco tempo era o presidente.

Ainda de acordo com a matéria da Folha, Doria alegou para justificar sua decisão: "Eu tenho respeito pelo senador Aécio Neves, mas entendo que hoje ele vive uma situação onde ele deve concentrar o seu tempo na sua defesa, para promover a sua ampla e irrestrita defesa, e deixar que o partido possa ser conduzido por outro nome eleito para ser o coordenador, o presidente do partido, e coordenador das ações do PSDB, ainda mais num período que se aproxima das eleições, e levando em conta também a instabilidade política do país"

A justificativa é hipócrita e falsa porque o antipático Doria também tem rabo de palha, logo não tem reserva moral para propor o afastamento do Aécio. Aécio e Doria são 'unha e carne' politicamente. Se o senador é acusado de corrupção, Doria também é. A proposta do prefeito, assim, demonstra apenas que o "mineirinho" literalmente "se lascou" ainda mais e que é vítima de sua própria imbecilidade ao propor o golpe parlamentar que afastou de forma indevida a presidenta Dilma Rousseff do poder.

Relacionadas:

DA REDAÇÃO | Segundo o portal congressoemfoco, "dos R$ 7,5 bilhões que o presidente Michel Temer (PMDB), via equipe econômica, descontingenciou do orçamento de 2017, R$ 593,4 milhões serão destinados ao pagamento de emendas parlamentares, dinheiro assegurado a deputados e senadores para que eles usem livremente em seus redutos [currais]...