Governador, economista e internautas alertam sobre possível assassinato de Lula! Saiba mais e compartilhe...

03/07/2017

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

POLÍTICA | Historicamente, grandes lideranças, sejam políticas ou não, sempre correram risco de serem assassinadas. E muitas foram, como Abraham Lincoln, Martin Luther King, John Lennon, Malcolm X e outros tantos. No Brasil, estudiosos especulam que as mortes de João Goulart, Juscelino Kubitschek e Getúlio Vargas foram induzidas pelos seus inimigos políticos de então. E mais recentemente, grande mistério ainda paira sobre as mortes de Eduardo Campos e Teori Zavascky. 

Lula, como a maior liderança popular da História do Brasil até aqui também corre o risco de ser eliminado. Pelo menos é o que pensa o governador do Piauí, o petista Wellington Dias. Em recente matéria do Brasil 247, Dias demonstrou preocupação com a vida do líder maior do PT e lembrou que há uma campanha de ódio contra Lula. Neste sentido, o chefe do executivo piauiense alertou que é preciso a assessoria e o próprio Lula tomar todo o cuidado com viagens de avião e carro.

Além do governador do Piauí, o economista Ângelo Cavalcante, professor da Universidade Estadual de Goiás, fez recentemente gravíssimo alerta nas redes sociais sobre possível assassinato do ex-presidente Lula. Diz ele que assassinato de Lula seria trama de vários agentes, dentre os quais PMDB/PSDB/DEM, TV Globo, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), o Judiciário brasileiro e a "Central Intelligence Agency" (CIA), dos Estados Unidos.

Internautas de todo o país, cotidianamente, também expressam preocupação quanto ao tema. Muitos creem que de fato os que se opõem a Lula e ao PT no campo da direita extremista, ou mesmo nem tão extremista assim, não exitarão em tirar a vida de Lula caso cheguem à conclusão de que não podem derrotá-lo nas urnas. É preciso cuidado, então.

LEIA TAMBÉM:

DA REDAÇÃO | Nem a maioria dos partidos de esquerda foi tão incisiva nas críticas ao general Mourão quanto Míriam Leitão, do O Globo. Leitão diz hoje (21) em sua coluna que Michel Temer (PMDB) é um fraco por não ter tido coragem de enquadrar Mourão, que defendeu nova ditadura militar no Brasil. A Global afirma inclusive que o general...

DA REDAÇÃO | Em artigo publicado na Folha de São Paulo no final de 2014, o professor da USP Vladimir Safatle defende punição rigorosa (inclusive com cadeia) a quem prega golpe militar no Brasil. Por tal diretriz, o general Antônio Mourão, que defendeu recentemente nova "intervenção militar" em nosso País, deveria receber algum tipo de punição pelo...