Desemprego deve crescer no Brasil em 2017 e ultrapassar 13,5 milhões, diz OIT

19/01/2017 14:26

Henrique Meirelles (Fazenda) e Michel Temer / Foto: Agência Brasil
Henrique Meirelles (Fazenda) e Michel Temer / Foto: Agência Brasil

Da Redação | O usurpador Michel Temer assumiu com a promessa de que acabaria rapidamente com o desemprego no país, na casa dos 11 milhões de pessoas antes da presidenta Dilma ser afastada do Planalto. Pelo menos essa era a expectativa que sua equipe econômica tentava gerar na opinião pública através da chamada 'grande mídia', em particular Rede Globo. 

Ao caminhar para o primeiro ano de mandato, contudo, Temer não só não diminuiu de forma significativa o número de desempregados como fez foi elevar o índice dos que estão sem emprego. 

Segundo se divulga pela própria Globo, este ano iniciou com mais de 12 milhões de pessoas fora do mercado de trabalho, ou seja, cerca de um milhão a mais em relação ao período antes do ilegítimo assumir.

E as previsões não são muito boas para os trabalhadores e para a maioria da população. Segundo matéria de hoje (19) de O Globo, publicada no blog da Miriam Leitão, "A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que o número de desempregados no Brasil chegará a 13,6 milhões em 2017".

Na verdade, a política econômica do Temer é o principal motor do alarmante aumento do desemprego que tomou conta do país. Ao estabelecer como prioridade passar a tesoura nos investimentos públicos por 20 anos (PEC 55) ele piorou ainda mais a economia e contribuiu para que mais pessoas fossem desempregadas.

Não há, portanto, receita eficaz para o combate ao desemprego que não passe primeiro pela derrubada desse presidente impostor bem como de sua recessiva política econômica. Até muitos coxinhas sabem que a saída é essa.

Leia também: